sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Feliz Natal e prospero Ano Novo

Guadalcanal, 1942.
Feliz Natal e um prospero Ano Novo a todos os frequentadores do blog.

Esses dois últimos anos foram corridos, muito trabalho e final da faculdade impediram a atualização por aqui. Mas agora ficará mais tranquilo, a partir do ano que vem, creio eu.

Forte abraço a todos, em especial para o pessoal do Holocausto.Doc.

Paz.

sábado, 7 de dezembro de 2013

Nelson Mandela, extrema direita, racismo e atualidade



Morreu aos 95 anos, no dia 5 de dezembro, Nelson Mandela, um dos lideres da líder da luta anti-apartheid na Africa do Sul.

As noticias detalhadas sobre a morte dele podem ser vista aqui, aqui, aqui,e aqui.

Para entender mais sobre o Apartheid, ler aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

Extrema direita africâner (Movimento de Resistência Africâner):

Ótimo documentário aqui.

Algumas matérias no Holocausto Doc. aqui.

Israel e seu apoio ao Apartheid aqui, (Texto genérico, quem quiser saber mais, só procurar que tem bastante coisa.)
Matéria falando sobre os judeus na Africa do Sul,muito interessante, aqui. (isso é bom para fazer um contra-ponto ao apoio de Israel no Apartheid)

Apoio de empresas gigantes aqui.

A foto ao lado foi retirada da Wikipedia, com a tradução: "área de banho reservada para uso exclusivo por integrantes do grupo racial branco."

Tem muita coisa na internet que facilmente da pra ver o apoio de outros países e empresas no regime racista sul africano, basta ao leitor interessado procurar.

Mas o ponto em que queria chegar é como mesmo após um conflito (Segunda Guerra Mundial/Genocídio) onde o uma parcela da população europeia foi exterminada por uma politica racista, xenófoba, autoritária, o domínio de uma classe "racial" sobre outra prevaleceu durante décadas na Africa do Sul, levando a população negra e indiana ao relendo, tratando  como sub-humano, tudo dentro da lei, e  nenhum pais teve a vergonha na cara de dar um fim nisso, deixando apara o próprio povo do pais resolver. A ONU, como sempre só gritava, resolver que é bom nada, deixando para as grandes potencias a ação, que não veio. Precisou chegar ao ponto de os próprios brancos votarem para acabarem com o Apartheid,  com uma faixa de 250 mil votos sim contra 35 mil não (os números não me lembro certo de cabeça, mas ficam nessa faixa). Fico imaginando se essa maioria que votou sim tive votado não, se um massacre teria ocorrido depois de 80% da população em greve geral e conflito a flor da pele, com a extrema direita (com aquela bandeira sugada da suástica) toda nas forças de policia, destilando seu ódio através das armas na população desarmada. 

Esse mundo é hipócrita ao extremo, defendem um grupo e não dão a minima a outros, e depois vem com discursos moralistas de apoio e solidariedade, quando a confusão já terminou.

Que o legado muito recente dessa batalha contra o racismo sirva de atenção, que não estamos nem um pouco distantes dessas violações extremas dos Direitos Humanos.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Submarino japonês abatido na 2ª Guerra Mundial é achado no Havaí

Submarino ficou muito danificado e caiu quase de bico após ataque,
 diz especialista (Foto: NOAA HURL/Reuters)
Submarino foi afundado pelos EUA quando iria atacar o Panamá. Embarcação foi encontrada por acaso a 700 metros de profundidade.

Cientistas divulgaram imagens feitas de um um submarino japonês da Segunda Guerra Mundial descoberto recentemente no fundo do o oceano Pacífico nos arredores do Havaí . O submarino foi abatido pelas forças dos Estados Unidos quando estava se preparando para atacar o Canal do Panamá e estava desaparecido desde 1946.

A embarcação, de 400 pés (122 metros) da classe "Sen-Toku", é um dos maiores submarinos pré-nucleares a serem fabricados. Ele foi achado por acaso em agosto a sudoeste da ilha de Oahu, em um leito marinho rochoso a cerca de 700 metros de profundidade, segundo cientistas da Universidade do Havaí em Manoa.

Na época do ataque norte-americano ao submarino, os EUA disseram não ter informações precisas sobre o local.

O I-400 e seu "gêmeo" I-401, achado na mesma região em 2005, eram capaz de dar uma volta e meia em torno do planeta sem reabastecer, e era capaz de abrigar três bombardeiros de asas retráteis, que poderiam decolar minutos após a emersão do submarino, segundo os cientistas.

"Topamos com isso quando estávamos procurando outros alvos... É como ver um tubarão em repouso", disse Jim Delgado, pesquisador que viajou até o local do naufrágio.

Segundo o arqueólogo, que trabalha para a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA), o submarino foi torpedeado, ficou muito danificado e caiu quase de bico.

Fonte: G1

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Morre Heinrich Boere, ex-oficial nazista condenado por execuções durante a Segunda Guerra Mundial

Heinrich Boere foi condenado por execuções durante
 a Segunda Guerra Mundial
O ex-oficial da SS Heinrich Boere faleceu aos 92 anos no hospital da penitenciária de Froendenberg, na Alemanha, onde cumpria pena de prisão perpétua por crimes realizados durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Sua morte foi registrada no último domingo (1º), por causas naturais, informaram autoridades locais.

O ex-oficial nazista foi condenado, no âmbito do julgamento de Aachen, pela morte de três civis holandeses — membros da resistência local — em 1944. Boere foi detido no ano seguinte, após a sentença ser confirmada.

Fonte: DCI




Morre aos 92 anos ex-oficial nazista Boere, condenado à prisão perpétua

Berlim, 2 dez (EFE).- O ex-oficial da SS alemã Heinrich Boere morreu aos 92 anos no hospital da prisão de Fröndenberg (oeste do país), onde cumpria pena de prisão perpétua ditada em 2010 pelos assassinatos a sangue frio de membros da resistência holandesa durante o nazismo. 

Fontes do Ministério da Justiça do estado federado da Renânia do Norte-Vestfália informaram nesta segunda-feira sobre a morte de réu, nascido em 1921 e que durante décadas teve uma existência sem sobressaltos, até que a Audiência de Aachen o processou por crimes de guerra. A justiça alemã o declarou culpado em 2010 pelos assassinatos de três civis, cometidos em 1944, e pelos quais tinha sido julgado e condenado à morte por um tribunal holandês após o fim da Segunda Guerra Mundial. Boere, que foi preso em 2011, morreu por causas naturais, disseram as citadas fontes. 

O ex-membro das SS foi condenado já com 88 anos, após um julgamento tardio em que confessou ter assassinado três membros da resistência contra Hitler na Holanda ocupada. Com 61 anos de atraso em relação à primeira condenação em Amsterdã, o idoso ouviu a sentença sobre a cadeira de rodas em que acompanhou o julgamento. Boere foi, durante o nazismo, um dos 15 membros do comando "Feldmeijer" criado para assassinar membros da resistência e foi condenado pelas execuções provadas de três civis, nas cidades holandesas de Breda, Voorschoten e Wassenaar. 

O réu tinha na época 22 anos, havia ingressado nas SS com 18, por "puro fanatismo e convicção", segundo sua própria declaração em seu julgamento. Após servir na frente do Leste dois anos foi destinado à Holanda - país de seu pai - onde recebeu esse comando. A incumbência dos membros do "Feldmeijer" era buscar em seus domicílios e matar a sangue frio civis suspeitos de pertencer à resistência antihitleriana. Seu método consistia em ficar na frente da porta da casa das vítimas, confirmar suas identidades e matá-las a tiros, estivessem ou não na presença de seus parentes.

Estima-se que Boerer tenha participado de 50 execuções, mas o processo se centrou nos três casos mencionados, onde os filhos de duas de suas vítimas moveram uma ação particular. Nascido em 1921 em Eschweiler (a 100 quilômetros da fronteira com a Holanda), Boerer foi preso pelos aliados antes do fim da Segunda Guerra Mundial e já nesses interrogatórios se declarou autor das mortes.

Em 1947, o criminoso fugiu de seu campo de prisioneiros, passou sete anos escondido na Holanda, coincidindo com o julgamento em que foi condenado à morte, sentença depois comutada por prisão perpétua.

Fonte: Portal R7
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...