sexta-feira, 23 de abril de 2010

Lança Rojão RPzB-54 Panzerschrek



O Panzerschreck foi um lança-rojão desenvolvido pela Alemanha Nazi, a partir de 1943.

História


A partir de 1942, os EUA começaram a produção em massa da Bazooka, e os alemães tinham apenas as antiquadas Panzerfaust. Então, a partir de bazookas capturadas, foi desenvolvido o Panzerschreck (do alemão: panzer= tanque; schreck= terror), que ficou conhecido literalmente como o "terror dos tanques". De fato, não havia tanques aliados que resistissem às suas granadas, que podiam alcançar mais de 180 metros. Porém, não teve um uso muito expressivo, pois apenas começou a ser produzido em massa a partir da segunda metade da guerra.

Soldados alemães do regimento Großdeutschland  em ruinas no Fronte Leste, 1944.


Soldados da Estonia com um Panzerschreck (Raketenpanzerbüchse)


Panzerschrek e Panzerfaust


Esquadrão Panzerschreck


O uso


Apesar de não ter uma utilização tão larga quanto a bazooka, o Panzerschreck conseguiu intimidar os aliados. Porém, seu desenho ainda apresentava alguns problemas, como a necessidade de se usar um pesado escudo montado ao tubo, pois o propelente ainda queimava ao deixar a arma, e atingia o rosto do operador. Eram necessários três homens para dispará-la (um atirador que também fazia a pontaria; dois municiadores), mas um soldado corajoso podia dispará-la sozinho. Utilizava-se do mesmo processo que dispara as granadas da bazooka: uma corrente elétrica, acionada pelo gatilho, percorre a alma do tubo, e provoca a queima do propelente. Seu maior problema era o peso: 9kg vazia (com o escudo, o peso subia para 11kg).
Grupo antitanque de paraquedista no Fronte Oeste, armados de Panzerschrek e Panzerfaust

 
Panzerschreck RPzB54


Panzerschrek e Panzerfaust

RPzB-54

Conhecida popularmente como Panzerschreck: "terror dos blindados" ou Ofenröhr: "chaminé de fogão"

Inspirada em exemplares capturados da Bazzoka, mas com calibre maior para mais poder de fogo, a RPzB-54 incorporava um escudo, eliminando o problema de sua antecessora, a RPzB-43, em que o propelente do rojão (que ainda queimava após deixar o tubo) atingia o rosto do atirador. Em compensação, o escudo provocava um recuo quando o propelente atingia a superfície do escudo. Operada por equipes de 2 soldados, era inicialmente menos efetiva que a descartável Panzerfaust, pois o seu tamanho levava o atirador a disparar de alcances maiores,mas era simplesmente devastadora contra qualquer blindado.

Modelo: Raketenpanzerbüchse 54
Produção Total: 289.151 (RpzB-54) + 25.744 (RPzB-54/1)
Comprimento: 1,64 m
Calibre: 88 mm
Peso: 9,3 kg (11 kg com escudo)
Ignição: Por meio de magneto
Alça de Mira: Fixas a 100, 150 e 200 metros
Alcance: 180 metros (máximo), 120 m (efetivo)
Granada: AT, carga oca RPzB.Gr. 4992 (regulado para um alcance máximo de 180 m)
Peso da Granada: 3,3 kg (total), 0,66 kg (carga explosiva)
Penetração: 100 mm (prática), 230 mm (teórica)
Guarnição: 2 (atirador e municiador)








Operador de um RPzB 43 com mascara de proteção e poncho.

 
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Panzerschreck 
http://tropaselite.t35.com/

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Volkssturm - Tempestade do Povo



Em outono de 1944 a derrota total da Alemanha nazista já parecia inevitável. No entanto, Hitler fez qüestão de não se dar por vencido e seguiu empenhado em criar uma linha de defesa para proteger o território alemão e especialmente Berlim. O problema, entre muitos outros, era que o resto de seus exércitos estavam espalhados por toda Europa e a maioria da juventude alemã estava morta ou prisioneira.


Volkssturm em parada, Berlim, Novembro 1944.





Em parada.

A situação não podia ser mais crítica de modo que ante situações desesperadas, soluções desesperadas. Hitler ordenou recrutar qualquer cidadão alemão capaz de carregar uma arma e para isso criou as "Volkssturm".



 O Volkssturm (milícia do povo) foi criado por decreto em 25 de Setembro de 1944 como forma de milícia defensiva local e consistia de todos aqueles homens com idades entre 16 e 60 anos que não eram militares.O pessoal Volkssturm geralmente era constituído pelos muito novos ou muitos velhos e para aqueles não conseguiram ser convocados para o Exército. Estas Unidades Volkssturm tinham como objetivo serem utilizadas nos distritos locais onde foram criadas, sendo lançadas em combate contra o Exército Vermelho com o intuído de diminuir ou retardar o avanço na Alemanha perto do final da Guerra. A formação, administração, treinamento e utilização operacional da Volkssturm ficava a cargo do NSDAP (Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei – Partido Nazista), líderes políticos responsáveis locais, as Waffen SS e pela Wehrmacht no controle das operações. No entanto, a Volkssturm era legalmente classificado com o status de soldados, com o mínimo de equipamento e tinha não oficialmente o suprimento de uniformes. A braçadeira foi criada para identificar o pessoal ligado ao Volkssturm.

 
Entre outras coisas dizia assim:



O inimigo iniciou ações para acabar com nosso império, para destruir o povo alemão e sua ordem social; seu último objetivo, é a exterminação da raça alemã. Uma vez mais, por nossa férrea vontade, a continuidade do Império e por tanto da Europa estará assegurada. Mas como nossos inimigos Acreditam ser capazes de nos dar o golpe final, decidimos utilizar novamente o poder de nosso povo. As intenções de nosso inimigo, o judaísmo internacional, de nos aniquilar, será arrasado pela vontade do povo alemão.


Para o reforço do poder de nossas forças armadas e em especial da liderança na luta infatigável em todas partes, ali onde nossos inimigos queiram pôr o pé sobre a terra alemã, demando ir ao combate todos os homens capazes de manejar uma arma. Por tanto, ordeno:


1) Serao formadas as Volkssturms, forças de defesa do povoo alemão, em todos os distritos do Império da Grande Alemanha, nas quais deverão servir todos os homens de 16 a 60 anos capazes de portar uma arma. Defenderão o solo pátrio com todas as armas e os meios a seu alcance que pareçam apropriados.


9)O Partido Nacional-socialista cumpre sua mais alta obrigação de honra ante o povo alemão, ao dar prioridade em sua organização para cumprir com sua responsabilidade nesta luta.


Quartel General do Führer,
25 de setiembre de 1944
Adolf Hitler


                            Volkssturm defendendo o Rio Oder, Fevereiro de 1945.


Volkssturm recebendo ordens.




Sua principal arma foi o "Panzerfaust" (Punho blindado). Um lança foguetes barato na fabricação e fácil de usar, que resultava bastante efetivo como arma anti-tanques. Foi usado para tentar evitar o grande avanço de blindados sovieticos.

 




Treinamento com um Panzerschreck


                                                         Treinamento com uma MG-42


Uma das coisas nas quais Hitler insistiu especialmente foi que estas unidades não só recebessem um treinamento militar, senão que também fossem fortemente doutrinados na ideologia nazista.
A ideia era criar um corpo de fanáticos que lutassem até a aniquilação do inimigo ou a própria. Por este motivo, as Volkssturm não estavam sob o controle da Wehrmatch (exército regular) senão que dependiam diretamente de Hitler e do Partido Nazista.

Hitler condecora um jovem Volkssturm. Esta fotografia foi feita em Abril de 1945, na Batalha de Berlim. (Provavelmente seja uma da últimas fotografias de Hitler com vida).




No entanto a efetividade das Volkssturm foi escassa ou nula. Mal tiveram tempo para receber instruções e muito menos dispunham de instrutores com experiência. A maioria dos instrutores eram veteranos da I guerra mundial que nunca tinham enfrentado um exército moderno. Salvo algum caso esporádico de resistência até a morte em alguma invasão a pequenos povoados, as Volkssturm mal tiveram incidência sobre o incontrolável avanço aliado.

Na maioria das vezes e no melhor dos casos, acabavam virando prisioneiros.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...