sexta-feira, 23 de abril de 2010

Lança Rojão RPzB-54 Panzerschrek



O Panzerschreck foi um lança-rojão desenvolvido pela Alemanha Nazi, a partir de 1943.

História


A partir de 1942, os EUA começaram a produção em massa da Bazooka, e os alemães tinham apenas as antiquadas Panzerfaust. Então, a partir de bazookas capturadas, foi desenvolvido o Panzerschreck (do alemão: panzer= tanque; schreck= terror), que ficou conhecido literalmente como o "terror dos tanques". De fato, não havia tanques aliados que resistissem às suas granadas, que podiam alcançar mais de 180 metros. Porém, não teve um uso muito expressivo, pois apenas começou a ser produzido em massa a partir da segunda metade da guerra.

Soldados alemães do regimento Großdeutschland  em ruinas no Fronte Leste, 1944.


Soldados da Estonia com um Panzerschreck (Raketenpanzerbüchse)


Panzerschrek e Panzerfaust


Esquadrão Panzerschreck


O uso


Apesar de não ter uma utilização tão larga quanto a bazooka, o Panzerschreck conseguiu intimidar os aliados. Porém, seu desenho ainda apresentava alguns problemas, como a necessidade de se usar um pesado escudo montado ao tubo, pois o propelente ainda queimava ao deixar a arma, e atingia o rosto do operador. Eram necessários três homens para dispará-la (um atirador que também fazia a pontaria; dois municiadores), mas um soldado corajoso podia dispará-la sozinho. Utilizava-se do mesmo processo que dispara as granadas da bazooka: uma corrente elétrica, acionada pelo gatilho, percorre a alma do tubo, e provoca a queima do propelente. Seu maior problema era o peso: 9kg vazia (com o escudo, o peso subia para 11kg).
Grupo antitanque de paraquedista no Fronte Oeste, armados de Panzerschrek e Panzerfaust

 
Panzerschreck RPzB54


Panzerschrek e Panzerfaust

RPzB-54

Conhecida popularmente como Panzerschreck: "terror dos blindados" ou Ofenröhr: "chaminé de fogão"

Inspirada em exemplares capturados da Bazzoka, mas com calibre maior para mais poder de fogo, a RPzB-54 incorporava um escudo, eliminando o problema de sua antecessora, a RPzB-43, em que o propelente do rojão (que ainda queimava após deixar o tubo) atingia o rosto do atirador. Em compensação, o escudo provocava um recuo quando o propelente atingia a superfície do escudo. Operada por equipes de 2 soldados, era inicialmente menos efetiva que a descartável Panzerfaust, pois o seu tamanho levava o atirador a disparar de alcances maiores,mas era simplesmente devastadora contra qualquer blindado.

Modelo: Raketenpanzerbüchse 54
Produção Total: 289.151 (RpzB-54) + 25.744 (RPzB-54/1)
Comprimento: 1,64 m
Calibre: 88 mm
Peso: 9,3 kg (11 kg com escudo)
Ignição: Por meio de magneto
Alça de Mira: Fixas a 100, 150 e 200 metros
Alcance: 180 metros (máximo), 120 m (efetivo)
Granada: AT, carga oca RPzB.Gr. 4992 (regulado para um alcance máximo de 180 m)
Peso da Granada: 3,3 kg (total), 0,66 kg (carga explosiva)
Penetração: 100 mm (prática), 230 mm (teórica)
Guarnição: 2 (atirador e municiador)








Operador de um RPzB 43 com mascara de proteção e poncho.

 
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Panzerschreck 
http://tropaselite.t35.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...