sábado, 11 de setembro de 2010

O gueto de Riga

O gueto de Riga estava cobrindo uma área pequena em Maskavas Forstater, um subúrbio de Riga, capital da Letónia, nomeado pelos nazistas para concentrar os judeus da Letónia, e mais tarde outros deportados da Alemanha durante a Segunda Guerra.

Em 25 de Outubro 1941, os nazistas moveram todos os judeus de Riga e os seus arredores para o gueto, enquanto os habitantes não-judeus foram expulsos da área. A maioria dos judeus da Letónia (cerca de 24.000) foram mortos em 30 de novembro e 08 de dezembro de 1941 no massacrados de Rumbula. O nazistas um transportaram um grande número de judeus alemães para o gueto, sendo que a maioria deles morreu mais tarde no massacres.

Embora o gueto de Riga é conhecida como uma entidade única, na verdade, havia muitos "guetos". Foi  primeiro maior gueto judaico na Letónia. Após o massacre de Rumbula, os judeus sobreviventes da Letónia estavam concentrados em uma área menor dentro do gueto original, que ficou conhecido como o "gueto pequeno". O gueto pequeno foi dividido em seções para homens e mulheres. A área do gueto não foi alocado para o gueto pequeno, foi transferido para os judeus que foram deportados da Alemanha para este setor que era conhecido como o gueto alemão.

Restrições sobre os judeus

No início de julho de 1941, o exército alemão ocupou Riga e todo o país, começando a implementar as primeiras medidas e os ataques contra judeus, que contou com a colaboração da população civil da Letónia. A poucos dias  após o local ser ocupado, sediou a queima de todas as sinagogas do cidade.

Soldados alemães se divertem com judeus em Riga.

Os alemães emitiram uma série de decretos que afetaram diretamente os judeus, proibindo o trânsito nos locais públicos, incluindo parques e piscinas, e forçá-los a sempre levar uma estrela amarela de seis pontas em suas roupas,  arriscando a morte se eles não fizessem ,  e depois  imporam a obrigação de manter uma segunda estrela para fácil identificação na multidão, porque eles não foram autorizados a usar as calçadas. Os judeus também recebiam apenas metade da ração alimentar de um cidadão não-judeu .

Estabeleceu uma "Escritorio de Assuntos Judeus", que começou a aplicar políticas inspiradas pela Leis de Nuremberg, que previa a proibição de casamentos entre judeus e não judeus, exortando os casais ao divórcio já estabelecidos e em caso de não aceitar obrigadar a esterilização. Em paralelo, proibiu médicos judeus de tratarem não-judeus e médicos não-judeus de tratarem judeus.


Criação do gueto

Em 21 de julho 1941, o comando de ocupação de Riga decidiu concentrar os trabalhadores em um gueto judeu. Todos os judeus foram registrados e estabeleceu um Judenrat (Conselho Judaico), como era feito nos outros guetos . Sendo eleitos para o conselho, alguns dos mais proeminentes judeus da cidade. Os membros do Conselho receberam grandes braçadeiras brancas com uma Estrela de David em azul, e deu-lhes direito de usar as calçadas e conduzir automóveis.

 Riga - transporte de judeus.
Em 23 de outubro de 1941, as autoridades de ocupação emitiram uma ordem obrigando todos os judeus a se mudarem a 25 de outubro de 1941, para Forstater Maskavas (em castelhano, subúrbio de Moscou), um distrito de Riga. Como resultado, cerca de 30 mil judeus foram concentrados em uma pequena área de 16 quarteirões, cercado por arame farpado. Qualquer pessoa que chegava muito perto do muro foi baleado por guardas letões estacionados em todo o perímetro do gueto. A guarda letona, que era comandada pela polícia alemã de Dantzig, foi autorizada a atirar aleatoriamente durante a noite.

Enquanto os judeus foram reassentados no gueto, os nazistas confiscaram a sua propriedade e roubaram seus bens, porque estes foram autorizados levar muito pouco para o gueto, e o que foi deixado de fora, permaneceu sob o controle de uma autoridade de ocupação conhecido como Escritório de administração e confiança (em alemão, Treuhandverwaltung). Todo trens carregados com bens roubados dos judeus foram enviados para a Alemanha. Embora o que era passado para os alemães, era roubado pela polícia letã, considerada como uma forma de compensação pela sua participação nos assassinatos.

Deportação


Assassinatos em massa


Em setembro de 1941, Adolf Hitler, a pedido de Reinhard Heydrich e Joseph Goebbels, havia decretado a expulsão dos judeus da Alemanha para o leste. Embora inicialmente o destino previsto era Minsk, devido à sua superpopulação,  mais trens para deportação foram desviados para Riga, que também ultrapassou a sua capacidade.

Entre 30 de novembro e 9 de dezembro de 1941, os nazistas executaram 27.500 judeus do gueto letão em covas pré-escavadas na floresta perto de Rumbula, no que é conhecido como o massacre de Rumbula. O gueto grande tinha tido a existência de apenas 37 dias. Apenas cerca de 4.500 trabalhadores qualificados de unidades de trabalho masculino sobreviveram, sendo confinadosno ao  "pequeno gueto", com cerca de 500 mulheres, que tinham sido classificados como costureiras.

O primeiro transporte de 1.053 judeus de Berlim chegou na estação de trem Skirotava de Riga, em 30 de novembro de 1941. Todas as pessoas foram mortas no mesmo dia na floresta de Rumbula. Os seguintes quatro trens chegaram com cerca de 4.000 pessoas que foram alojados em um pátio vazio, chamado campos de concentração provisórios Jungfernhof, por ordem do SS-Brigadeführer e comandante da Einsatzgruppen A, Stahlecker Walter.

Um judeu sendo arrastado por soldados letões no gueto de Riga, na Letónia.




Instalação do gueto "pequeno"


Após os assassinatos em massa em Rumbula, os sobreviventes foram instalados no gueto pequeno. Embora por toda Riga foram colocados cartazes, observando que "qualquer pessoa a comunicar às autoridades sobre uma pessoa suspeita ou um judeu escondido, receberá uma grande soma de dinheiro, e muitas outras regalias e privilégios". Criou-se também passaportes internos para identificar a população, que eram utilizaveis, por exemplo, quando era solicitada uma receita médica. Foi nomeado como comandante do gueto pequeno, um oficial nazista chamado Stanke, que também participou da liquidação do gueto grande, sendo assistida por um letónio chamado  Dralleo, que ganhou uma reputação de brutalidade entre os judeus. Como no grande gueto, o perímetro era guardado por guardas também letões.

Vala comum na Mata Bikernieki perto de Riga

Vala comum na Mata Bikernieki perto de Riga.


Tradução: Daniel de A. Moratori à partir do link:
Transcrição por : avidanofront.blogspot.com/

3 comentários:

  1. É muito triste constatar a que ponto chega a maldade humana.

    ResponderExcluir
  2. Passei alguns dias na Letônia, e resolvi escrever um relato da minha viagem, mais especificamente das mulheres de Riga. Para quem se interessar, espero que gostem! :) http://viajanteanonimo.com/riga-a-cidade-onde-todas-mulheres-te-querem/

    ResponderExcluir
  3. O mais triste é saber que a população local inicialmente ajudou os nazistas a perseguir os judeus.

    ResponderExcluir

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...