sábado, 5 de junho de 2010

Massacre de civis alemães é revelado em vídeo



Há muito se sabe que civis alemães foram vítimas dos excessos tchecos imediatamente após a rendição dos nazistas no fim da Segunda Guerra Mundial. Mas um vídeo recém-descoberto mostra um desses massacres em detalhes brutais. O vídeo deixou a República Tcheca em choque.

Por décadas as imagens ficaram esquecidas numa caixa de alumínio – quase 7 minutos de filme original em preto e branco, filmado com uma câmera 8 mm em 10 de maio de 1945, no distrito de Borislavka, em Praga, durante os confusos dias que se seguiram à rendição alemã.

O homem que fez a filmagem é Jirí Chmelnicek, um engenheiro civil e cinegrafista amador que viveu no distrito de Borislavka e queria documentar a liberação da cidade da ocupação alemã. Chmelnicek filmou tanques, soldados e refugiados pelas ruas. Então, em certo ponto, sua câmera pegou um grupo de alemães, que haviam sido expulsos de suas casas por soldados do Exército Vermelho e milicianos tchecos.

O filme de Chmelnicek mostra como os alemães foram agrupados em um cinema próximo, também chamado Borislavka. A câmera então mostra a lateral da rua, onde 40 homens e pelo menos uma mulher estão de pé de costas para as lentes. Uma pradaria pode ser vista ao fundo. Tiros são disparados e, um a um, todas as pessoas alinhadas caem mortas. Os feridos deitados no chão imploram por misericórdia. Então um caminhão do Exército Vermelho passa por cima, com seus pneus esmagando os mortos e feridos da mesma maneira. Depois, outros alemães podem ser vistos, forçados a cavar uma vala comum na pradaria.





Um choque para os tchecos


As trêmulas imagens mostram um evento que foi descrito inúmeras vezes por testemunhas e historiadores: a matança sistemática de civis alemães. Ainda assim, o filme foi um choque para os tchecos. “Até agora, não havia filmagem alguma dessas execuções”, disse o cineasta tcheco David Vondracek, que mostrou as imagens na TV. “Quando vi essas imagens pela primeira vez, senti que assistia uma transmissão ao vivo do passado”.

As únicas imagens anteriormente conhecidas haviam sido feitas por cinegrafistas da Força Aérea do Exército Americano. Mostra civis alemães feridos no chão em Plzen, na antiga Tchecoslováquia, no começo de maio de 1945. As imagens incluem alguns corpos, mas não mostra os assassinatos, do começo ao fim, como este novo filme.

O documentário de Vondracek sobre as atrocidades tchecas, chamado “Matança ao Estilo Tcheco”, foi levado ao ar pela televisão estatal tcheca dois dias antes de 8 de maio, aniversário da rendição alemã. A transmissão marca um ponto importante na conturbada relação do país com seu nem sempre agradável passado na Segunda Guerra Mundial.

Até mesmo organizações que representam os “Alemães dos Sudetos” – alemães étnicos que foram expulsos da Tchecoslováquia após o fim da guerra – tomaram conhecimento. Horst Seehofer, governador da Bavária, planeja uma viagem oficial à Praga, fazendo dele o primeiro a fazer isso desde a Segunda Guerra. “Isso é muitíssimo importante para os alemães dos Sudetos”, comentou Seehofer recentemente.




Vítimas de atos de vingança

Depois da derrota da Alemanha Nazista, os tchecos e o Exército Vermelho expulsaram cerca de 
3 milhões de alemães étnicos dos Sudetos e do resto da Tchecoslováquia. No processo, cerca de 30.000 civis foram vítimas de atos de vingança. Somente uma ínfima percentagem deles estava envolvida com a ocupação. Alemães e tchecos haviam vivido lado a lado por décadas antes da anexação da Boêmia e Morávia em 1938, duas regiões que hoje constituem a maior parte da República Tcheca.

Ninguém sabe quem liderou a expulsão dos alemães de Borislavka, nem os crimes dos quais foram acusados. Foram certamente mortos por soldados do Exército Vermelho e talvez também pela “Guarda Revolucionária” – membros da milícia tcheca. Aqueles que dispararam os tiros também podem ter sido 
antigos colaboradores tchecos, que haviam trabalhado com os alemães e agora queriam limpar seus nomes com uma mostra de brutalidade anti-germânica.
Helena Dvoracková, filha do cineasta amador Chmelnick, foi uma das primeiras a ver as filmagens. Ela não se lembra que idade tinha quando o pai montou a tela de projeção e mostrou-lhe o filme. “Não me lembro se ele disse alguma coisa sobre isso – e realmente, não há muito o que dizer”, ela disse.







“Sob a pradaria”

Seu pai manteve o filme oculto em casa por décadas. A polícia comunista até mesmo os abordou – alguém desconfiara que a filmagem existia. A polícia perguntou sobre o filme e ameaçou Chmelnicek. Mas o cineasta não entregou os rolos. Ele queria que o mundo eventualmente descobrisse o que havia sido feito ao povo indefeso naquele dia de maio em Borislavka.

Dez anos atrás, muito depois da morte do pai, Helena Dvoracková ofereceu a filmagem a um conhecido historiador tcheco, mas ele manteve o filme escondido. “
O povo me apedrejaria se eu mostrasse isso”, ele supostamente disse, e colocou o filme nos arquivos da televisão. Foi lá que o cineasta Vondracek o encontrou, após um operador de câmera que conhecia a família de Chmelnicek contar-lhe a respeito.

Hoje, Borislavka é um dos melhores subúrbios de Praga, e grama alta cresceu sobre a pradaria onde realizaram-se as execuções. Vondracek agora quer começar uma busca pela vala comum dos alemães. “
Deve estar em algum lugar sob a pradaria”, disse.

Talvez esteja perto de um monumento a dois tchecos que caíram em batalha contra os nazistas em 6 de maio de 1945.

Assista ao video: Irei corrigir o link, então acessem o documentario logo abaixo na minha conta do Youtube que tem as mesmas cenas.


Fontes: Der Spiegel, 2 de junho de 2010.
http://globalfire.tv/nj/10de/zeitgeschichte/verbrechen_an_deutschen.htm
http://www.ct24.cz/domaci/89000-zabijeni-po-cesku-drasticke-zabery-vrazdeni-nemeckych-civilistu/


Coloquei todos os videos na minha conta do youtube .
Link do documentario Töten auf Tschechisch - Die andere Seite der Vertreibung (Massacre de alemães ne Tchecoslováquia - O outro lado da expulsão).

Massacre de alemães ne Tchecoslováquia - O outro lado da expulsão - 1 de 4 

17 comentários:

  1. Há Holocaustos de que não se fala.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente foi a lei do retorno para os alemães. Aqui se faz aqui se paga.

    ResponderExcluir
  3. UM PEQUENO MASACRE,FOI MUITO BRANDO

    ResponderExcluir
  4. Como impedir que um povo que viveu durante anos sobre a brutalidade Nazista, reaja de forma semelhante contra o inimigo vencido? Como fazer esquecer os anos de fome e trabalho forçado que esses povos sofreram para sustentar a máquina de guerra nazista?

    ResponderExcluir
  5. Tenso, mas é difícil saber que lado está errado nesse caso, os tchecos devem ter sofridos diversos abusos tb durante a ocupação alemâ.
    Há relatos de retaliação contra alemães em toda a Europa, após a rendição nazista. Na série Band of brothers, eles mostram e citam o que aconteceu com os homens e mulheres que compactuaram com os nazistas na Holanda.
    Parabéns pelo Post

    ResponderExcluir
  6. Imaginem viver ao lado do inimigo sendo humilhado durante anos, qual seria sua reação após sua queda???

    Pois bem a deles foi a mesma.

    ResponderExcluir
  7. Se violência justifica violência, então o que dizer atualmente de Israel.

    ResponderExcluir
  8. Nunca ninguém olha os dois lados... Eles existem, não há herois em uma guerra

    ResponderExcluir
  9. Desnecessário, muito desnecessário.
    Aqui se az aqui se paga nunca significa matar.

    ResponderExcluir
  10. A perseguição e massacres de alemães dos Sudetos (antigo Império Autro-Húngaro), ou Bohemia, é muito anterior à II Guerra e antes mesmo do próprio Hitler. Os tchecos nunca aceitaram a supremacia da cultura germânica na região. No entre-guerras milhares de pequenos fazendeiros e artesãos foram expulsos da região pelos tchecos. Em 1919 houve um massacre em praça p-ublica de cerca de 100 pessoas (mulheres e crianças inclusive) na cidade de Kaaden (hoje Kadan).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só que interessante seu comentário, mas vamos lá, pois você está desvirtuando o assunto dizendo que os tchecos não aceitavam aos alemães, mas na realidade, foram os alemães que não aceitavam ser declarados a partir da novas fronteiras serem considerados ESLAVOS.

      Não estou falando que o massacre foi certo, por sinal foi totalmente errado e repugnante. Mas essa de supremacia da cultura alemã não colou.

      Excluir
  11. Creio que estes fatos e relatos da história da humanidade e suas atrocidades, jamais poderão ser esquecidos.Pois cada um de nós tem a responsabilidade de ensinar aos nossos filhos e as novas gerações a que ponto o ser humano pode chegar.
    Devemos ensinar, que devemos amar sem restrições, preconceitos e respeitar em todos os sentidos (moral,ético, religioso, ideológico), não devemos achar que jamais acontecerá conosco ou com os nossos, e sim nos preparar em todos os sentidos para que não sejamos nós omissos os os próprio causadores de um novo holocasto (guerra).
    Pois sabemos que o começo de tudo é a nossa própria omissão.

    ResponderExcluir
  12. Quanta asneira escreveram aqui hein... Aqui se faz, aqui se paga? Então os alemães estavam certos em perseguir os Polonoses? Uma vez que os poloneses estupraram mulheres alemãs no fim da primeira guerra mundial, então os povos do leste europeu que se aliaram aos nazis e cometeram atrocidades contra os russos estavam certos? Uma vez que os russos "Soviéticos" os perseguiu e cometeu atrocidades contra eles... Então pobre do brasileiro quando o Paraguaio for cobrar a divida com o Brasil... Acho que muitas pessoas deveriam estudar um pouco tudo o que aconteceu antes da segunda guerra para depois comentar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente, quem sofre são inocentes, ainda mais crianças, idosos e mulheres.

      Acho que a guerra está errada em tudo, desde seu inicio. E retaliações, são deprimentes, pois geralmente, quase sempre, são pessoas comuns, que sofrem.

      Excluir
  13. por favor arruma o video

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O video do Youtube dividido em 4 partes tem as imagens do link. Só acessar por lá que tambem da para visualizar.
      Depois coloco um reduzido novamente.

      Excluir

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...