sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Zagueiro da seleção croata gera polêmica com grito fascista em comemoração

Josip Simunic convocando e recebendo resposta da torcida
 ao gritos de expressões usadas pelas extrema-direita Ustasha

O zagueiro Josip Simunic criou polêmica ao emitir um grito fascista em meio às festas de comemoração da classificação da Croácia para a quarta Copa do Mundo de sua história, obtida nesta terça-feira com a vitória sobre a Islândia por 2 a 0.

Na euforia após o triunfo, Simunic pegou o microfone do estádio Maksimir e exclamou um conhecido lema dos "ustachis", os fascistas pró-nazistas croatas da Segunda Guerra Mundial.

"Za dom" ("Pela família), exclamou Simunic várias vezes, obtendo resposta de milhares de pessoas, que gritavam "Spremni" ("Prontos"). Esse era um dos lemas dos "ustachis", que entre 1941 e 1945 lideraram o Estado Independente Croata, um protetorado da Alemanha liderada por Hitler e onde foram assassinados centenas de milhares de judeus, sérvios, ciganos e dissidentes políticos.

O presidente da Croácia, Ivo Josipovic, representantes do Governo e outras instituições do país pediram nesta quarta uma reação urgente da Federação Croata de Futebol (HNS) pelo incidente.

Josipovic considerou os gritos do jogador do Dínamo Zagreb "completamente inapropriadas" e pediu que a HNS atue "se desejar manter sua autoridade".

Quem também se pronunciou foi o ministro da Educação, Zeljko Jovanovic, pediu uma "reação urgente" por parte dos presidentes do Comitê Olímpico Croata, Zlatko Matesa, e da federação, o ex-atacante Davor Suker. "Pedimos informação urgente sobre as reações dos senhores e as medidas que tomarão", diz comunicado ministerial.

O próprio Simunic - um australiano de origem bósnio-croata - tentou minimizar o incidente. "Como croata nascido no exterior, associo a palavra "dom" com amor e calor, e não com ódio e destruição", justificou.

A procuradoria de Zagreb comunicou ter pedido à Polícia um relatório sobre os eventos, para decidir se houve alguma infração, já que a legislação croata não prevê responsabilidade penal nesse tipo de situação.

Fonte: Portal Terra



Comentário: Que isso sirva de alerta para o ressurgimento da extrema-direita católica, que matou dezenas de milhares no decorrer da 2ª Guerra Mundial e o assunto é ignorado pela mídia e pela própria igreja. Para quem não sabe, sugiro a ler as postagens aqui no blog e no Holocausto Doc. sobre o Ustasha:
Material aqui no blog
Material no Holocausto Doc.

Segue abaixo alguns documentários da minha conta do Youtube:

Documentário sobre Ustasha:
Os maiores assassinos da Historia, os Croatas pró-nazistas - Ustasha 1/2
Os maiores assassinos da Historia, os Croatas pró-nazistas - Ustasha 2/2

Documentário Holocausto do Vaticano:

Holocausto do Vaticano - Campos da morte na Croácia pró-nazista - parte 1
Holocausto do Vaticano - Campos da morte na Croácia pró-nazista - parte 2
Holocausto do Vaticano - Campos da morte na Croácia pró-nazista - parte 3
Holocausto do Vaticano - Campos da morte na Croácia pró-nazista - parte 4
Holocausto do Vaticano - Campos da morte na Croácia pró-nazista - parte 5
Holocausto do Vaticano - Campos da morte na Croácia pró-nazista - parte 6

9 comentários:

  1. Recentemente, o jogador brasileiro Paulão também foi vitima de racismo (link abaixo). O que será que os brasileiros revisionistas tem a dizer com esses exemplos?

    http://www.youtube.com/watch?v=n0LDo0QWvcc

    Guefiltefish

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os "brasileiros" "revis" vivem literalmente numa realidade paralela onde são "branquinhos puros" discípulos do Reich nazista (quando a maioria deles seria rejeitada pelos nazis). Se ser "revi" fora do país já é coisa de gente bizarra, os "revis" brasileiros conseguem ser mais escroques que os de fora (ainda bem que são em menor número).

      Excluir
  2. Coloquei o link errado. Este é maior e mostram "torcedores" imitando macaco.

    http://www.youtube.com/watch?v=QPyZrJUUTxI

    ResponderExcluir
  3. Tem muito racismo em jogos de futebol.

    Tem um documentário da BBC falando sobre isso, na Ucrânia e Polonia:

    http://www.youtube.com/watch?v=U7-1RHr2lZg


    ResponderExcluir
  4. Esse passou na BAND, bem interessante:

    http://www.youtube.com/watch?v=PToFNRJw-gg


    Infelizmente, quando a cabeça esquenta no futebol, o racismo rapidamente vem a tona.

    ResponderExcluir
  5. É sabido que muitos jogadores de futebol europeus, principalmente aqueles da parte mais ao leste são racistas ou de algum modo ligados a movimentos extremistas como este.

    Uma pena, pois como pessoas públicas e formadoras de opinião deveriam dar o exemplo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thiago,
      O pior é que tem gente aqui no Brasil praticando essas ideologias de culto ao ódio.

      Guefiltefish

      Excluir
  6. Cara, me desculpe te falar, mas este grito não é isso que todos pensam, e sim um grito de guerra na invasão Otomana na Croácia, mas também foi usado em 1941-1945, e também "Za Dom" significa "Pela família" e "Spremmi" "Pronto (para morrer)", as vezes uma pesquisada um pouco mais aprofundada sobre o assunto vale mais apena para ter um conteúdo mais rico na página, mas mesmo assim, adoro o Blog, e isso só foi uma crítica construtiva, abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Eu tenho um grande estudo pelo Ustasha, por isso a afirmação m dizer que a resposta foi algo bem natural do povo croata.
      Sugiro a leitura do Disputed Memory: Emotions and Memory Politics in Central, Eastern and South-Eastern Europe, onde cita esse caso do Simunic e a relação com o Ustasha.
      Abraços

      Excluir

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...