quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Josef Mengele e os gemêos

Josef Mengele era um cientista nazista envolvido em um programa de genética que tinha a tarefa de criar uma raça superior de povos arianos. O trabalho de Mengele, ou o "Anjo da Morte", como era chamado, foi o de encontrar formas de aumentar as chances de uma mãe dar à luz a gêmeos. Enquanto trabalhava no campo de concentração de Auschwitz, Mengele fez uma série de experiências brutais em gêmeos, a maioria morreu com os resultados das cirurgias ou de feridas infectadas mais tarde.

Uma noite, o anjo da morte colocou 14 pares de gêmeos para dormir em sua sala de operações. Ele então injetou clorofórmio diretamente em seus corações, matando-os instantaneamente e começou a dissecá-los, tomando notas de cada pedaço de seus corpos. As autópsias eram uma parte importante das experiências de Mengele.

Em outro experimento bizarro, ele levou um par de gêmeos ciganos e costurou-os juntos, a remoção cirúrgica das veias deixou-os com gangrena. Um gêmeo que sobreviveu e esteve sob os cuidados do médico lembrou que seu irmão veio a perder a sua vida;

"Dr. Mengele estava sempre mais interessado em Tibi. Não sei porquê, talvez porque ele era o gêmeo mais velho. Mengele fez várias operações em Tibi. Uma cirurgia em sua espinha deixou meu irmão paralisado. Ele não podia andar mais. Então eles tiraram seus órgãos sexuais. Após a quarta operação, eu não vi mais o Tibi. Eu não posso dizer-lhe como me sentia. É impossível colocar em palavras o que senti. Eles haviam tirado o meu pai, minha mãe, meus dois irmãos mais velhos e, agora, meu irmão gêmeo."

Os gêmeos de Auschwitz foram alojados em quartos mais confortáveis do que os outros presos, tinham melhor alimentado e estavam a salvo das câmaras de gás. Mengele se apresentava aos gêmeos como 'Tio Mengele "e dava-lhes doces. A maioria dos registros mantidos por Mengele foram perdidos ou destruídos no final da guerra, de modo que a extensão de suas atrocidades, nunca será conhecida. Sabe-se contudo que, durante a II Guerra Mundial, cerca de 3.000 gêmeos foram para Auschwitz, mas apenas cerca de 52 deles iriam conseguir sair dali vivos.

Depois da guerra, Mengele conseguiu escapar da Alemanha depois de receber uma falsa identidade de inocentes trabalhadores da Cruz Vermelha que forneciam documentos para milhares de refugiados. Ele fugiu primeiro para a Argentina e, em seguida, rodou pela América do Sul em uma tentativa de evitar a captura e julgamentos de crimes de guerra. Acredita-se que ele possa ter continuado seus experimentos genéticos no Brasil na década de 1960. Isso por que na cidade gaúcha de Cândido Godói, uma em cada cinco gestações resultam em gêmeos, a maioria dos quais loiros e de olhos azuis.



Encontro anual de gemêos em Godoi(RS) / Brasil

Moradores afirmam que Mengele visitou a cidade em várias ocasiões e que ofereceu tratamento médico para as mulheres. Normalmente, nascem gêmeos em cada oitenta gravidez assim, parece que em Cândido Godói, Josef Mengele conseguiu alcançar o seu sonho de criar o que ele acreditava ser uma raça superior.

Abaixo  um pedaço da matéria no Telegraph:
 

"Camarasa conversou com a população de Cândido Godói, a maioria de descendência germânica, e muitos contaram que um educado alemão que se apresentava como Rudolph Weiss, e era especialista em reprodução, passou pela cidade na década de 1960, pouco antes do surgimento dos gêmeos em série. Este homem, que muitos na cidade acreditam que era Mengele, atendeu mulheres, acompanhou gestações e as prescreveu medicação. Há uma ocorrência de gêmeos a cada cinco nascimentos em Cândido Godói, bem superior à média de um nascimento de gêmeos a cada 80 partos."


   
Biografia: Mengele: o Anjo da Morte na América do Sul
http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/southamerica/brazil/4307262/Nazi-angel-of-death-Josef-Mengele-created-twin-town-in-Brazil.html

9 comentários:

  1. Mengele - o Anjo da Morte de Auschwitz

    http://citadino.blogspot.com/2008/09/mengele-o-anjo-da-morte-de-auschwitz.html

    Mais mentiras de «testemunhas»

    Olga Lengyel descreveu como o Dr. Mengele tomava todas as precauções médicas enquanto assistia a um parto em Auschwitz, embora, apenas meia hora depois, enviasse a mãe e o bebé para serem gaseados e queimados no crematório.


    Vera Alexander afirmou o seguinte numa entrevista para a produção televisiva “À procura de Mengele,” como foi citado no livro “Mengele, a História Completa”:

    Um dia Mengele trouxe chocolate e roupas especiais. No dia seguinte, os homens das SS vieram e levaram duas crianças. As duas crianças estavam comigo, Totó e Nino. Um deles era corcunda. Dois ou três dias mais tarde, um homem das SS trouxe-os de volta num estado terrível. Foram cortados. O corcunda estava cosido à outra criança, de costas um para o outro, os seus punhos também. Cheirava terrivelmente a gangrena. As incisões estavam sujas e as crianças choraram todas as noites.

    ResponderExcluir
  2. vou citar o que coloquei em seu site:

    Os testemunhos vão ser sempre assim, nunca um vai dizer exatamente o que viu igualmente como o companheiro que estava ao seu lado diz, porque forças maiores, como o medo da morte, faz com que veja coisas, aumente o ocorrido, deturpe o acontecimento e não torne o relato 100% seguro.
    No texto existe poucos depoimentos. Seria bom que vc le-se Médicos Malditos, de Christian Bernadac e Médico em Auschwitz, de Miklos Nyiszl. Nesses 2 livros feitos por depoimentos ineditos na epoca, mostram uma centena de deportados contando, entre outras coisas, as atrocidades medicas que aconteceram. Mas o que mais tem a pesar sobre isso, é que os depoimentos se entrelaçam e se confirmam, sem que seja do modo que vc citou no seu texto, que foi pego os depoimentos separados, e postos frente a frente, o que causa certa desordem nos fatos, e traz uma certa falta de veracidade, se assim pode-se dizer.

    ResponderExcluir
  3. Caro Danihell,

    Você compreende inglês? Se sim, leia este artigo para podermos debater:

    The Amazing Claims of Miklos Nyiszli


    De qualquer forma tenciono traduzir e postar pare deste artigo.

    ResponderExcluir
  4. Vou ler e depois comento sobre o artigo. Mas tambem quero que leia os artigos que eu disse, pois assim poderemos debater com os 2 informando artigos, não somente um.

    ResponderExcluir
  5. Não duvido dos testemunhos sobre Mengele em Auschwitz, mas a estória dele em Cândido Godói é uma besteira extremamente exagerada. Cândido Godói era (e continua sendo) uma cidade perdida no meio do nada, aqui no meu estado (Rio Grande do Sul), com uma população confinada em uma pequena comunidade e reproduzindo-se apenas entre si. E, como a própria Biologia pode explicar, uma população confinada, com um 'display' muito especifico de cromossomos, pode gerar uma condição muito específica, como a percentagem acima do normal de nascimento de gêmeos. Essa é a explicação mais plausivel do que aconteceu naquela comunidade, ou seja, nada demais...

    ResponderExcluir
  6. Perto da minha cidade, existe uma cidade chamada Goianá, onde também o incide é um dos maiores em nascimento de gêmeos de MG(era até ano retrasado, não sei se ainda continua). Eu tambem não tiro sua explicação como erronea, pois esse processo biologico de reprodução entre si traria tais numeros de gemeos em maior quantidade. A unica coisa engraçada é que ele (Mengele) foi parar logo em Cândido Godói e ainda oferecia seus serviços medicos. Pode ser pura coincidência, tanto que o texto não afirma nada sobre o assunto supra-citado.

    ResponderExcluir
  7. Nada contra seu texto,muito bem escrito,mas existem algumas falhas.
    Essa última foto,das supostas gêmeas brasileiras por exemplo,é da Diane Arbus que nunca esteve no Brasil(ao menos que eu tenha lido)já em relação a ter executado experiências no Brasil tb acho estranho,chega um alemão qualquer e do nada já prescreve remédios e induz mulheres a terem um tratamento especifico?

    ResponderExcluir
  8. Gabriela, consertei a foto. Como foi tirada do proprio site da Telegraph, nem desconfiei. Eles tambem acertaram lá, tanto que ela nem esta mais no site.
    Sobre a cidade, uma reportagem no Fantastico sobre o assunto foi esclarecedora, provando que Mengele nada teve haver com isso. Acho que foi a universidade Rio Grande do Sul que fez o estudo, tenho que confirmar.

    ResponderExcluir
  9. Agora vim a conhecer sobre o médico Josef Mengele,através de estudos escolares sobre os Judeus e como foram tratados durante a Primeira e Segunda Guerra Mundial! Aprecio o autor,por se preocupar em expor as horroridades cometidas por o mesmo por que isso ajuda que fato não se repita e que as pessoas tomem conhecimento de até que ponto um ser humano pode chegar!

    ResponderExcluir

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...