sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Carta entre irmãos relata que civis pagavam com a vida pelos parentes guerrilheiros

Exemplo de enforcamento praticado pelos nazista no leste europeu:  Quinze civis polacos enforcados em Radom


Cartas de A. Ponomarev, soldado do Exército Vermelho, e de sua irmã, Marussia Ponomareva


7 de setembro d 1942

Recebi uma carta da minha pobre irmã e tenho o coração oprimido de angústia. Esmagarei os vermes malditos enquanto o coraão me bater no peito.
A. Ponomarev

8 de agosto de 1942

Bom dia, me querido irmão Chura,
Informo-te que estou agora na cidade de Gorki. Eis as razões: quando tomaram a nossa cidade, os alemães instalaram-se em casa dos habistantes.

Em nossa casa estava alojado um alemão muito alto. Examinou as fotografias e perguntou: De quem são estas fotografias? Fala, velha. A mãe respondeu: São do meu filho. - Onde está ele agora? - Na frente.  Pegou na fotografia e perguntou: Onde está de serviço? É guerrilheiro? Depressa, interprete. Saiu a correr e voltou logo a seguir. O interprete explicou-lhe tudo. Pegou nas tuas fotografias e nas do nosso pai e disse: Éh! velhota, vamos embora! Ela perguntou: Para onde?- Já se sabe, pagar com a tua alma pelo teu filho que é guerrilheiro. Depois me disse: E tú, rapariga, não chores. Amanha a tua mãe será enforcada. Mas não vai sozinha.

Passei a noite na cave, e depois, de manha, fui onde ele me tinha dito e sentei-me no cemiterio. Oh, que eu vejo?! Levam quarenta e cinco mulheres, a mãe também lá ia. Ia do lado direito. Amarraram-nas em grupos de dez para que não pudessem fugir. havia muita gente. Começaram a enforca-las.  Mas antes disso, uma voz disse em russo: Pagam com a sua alma pelos guerrilheiros. Ficaram enforcadas dois dias: as que caiam, levantavam-nas  e voltavam a pendura-las. Eu me salvei. Abandonei tudo. Da nossa Vorochilovgrad fui até a cidade de Gorku, para casa de sua mulher. Eis pois, querido irmão, quantas pessoas os alemães fizeram prisioneiras. Ora martirizam e degolam, ora fuzilam ou enforcam. Mata-a, essa canalha. A tua irmã conseguiu se salvar.
Marussia Ponomareva


Fonte: COELHO, Zeferino - O crime metódico. Ed. Inova Limitada - pg.87-88



8 comentários:

  1. Mais um post pra série, "os "revis" do Holocausto farão de conta que não viram isso aqui". É incrível a abundância de descrições e textos relatando os massacres da 2aGM e tem gente que ainda nega isso na maior cara de pau.

    ResponderExcluir
  2. Não sei se conhece Roberto, mas os livros que mais tem relatos de sobreviventes são: Os feiticeiros do céu
    O 9°circulo
    Os 186 degraus
    No meio das trevas
    Médicos da esperança
    Os manequins nús
    Campo de mulheres
    Médico em Auschwitz
    Triângulo vermelho
    Comandos femininos
    O trem da morte
    Dias sem fim
    Em nome da raça
    Médicos malditos
    Dora 1 e 2

    Não tem livros que mostrem a crueldade mais do que esses. Se não conhecer, me de um toque que mando umas partes para você.

    ResponderExcluir
  3. Daniel, respondendo agora, só vi o comentário hoje. Olha, eu vou colocar essa lista que você passou(se não se incomodar) lá na parte de bibliografia do blog na parte de relatos, tem muita coisa aí de peso, e o pior, fui procurar por alguns desses livros do Christian Bernadac online e não tem um mísero ebook do cara disponível, brincadeira, nem em francês.

    De qualquer forma, vou continuar a procurar depois alguns desses livros em PDF pra dar uma olhada e também porque é mais fácil de transcrever de um texto digital do que digitar manualmente, formidável a lista.

    Só que eu tive uma ideia pra colocar isso no ar lá no blog sem precisar você repassar as partes, no caso, você pode fazer um post aqui com o relato que eu transcrevo pra lá com o link do avidanofront embaixo como eu geralmente faço com os textos do Holocaust Controversies, só que do HC eu tenho que traduzir os textos. Seria uma forma mais eficiente de divulgar o blog(teu blog) e também do relato já que não tá dando pra postar com frequência os posts lá na H x "R" do Iogurt com essas postagens que você vem fazendo aqui. Qualquer coisa pode dar um toque em retorno.

    ResponderExcluir
  4. E já ia esquecendo de comentar isso de novo, a memória tá triste. Vou ver depois se eu salvei aquele livro que você indicou do filme "Falcão Negro em Perigo" pois não lembro se salvei o arquivo digital dele ou não. Eu acho que salvei mas não lembro se salvei de fato, ou qual o nome do arquivo de cabeça, a memória tá realmente triste, rs.

    ResponderExcluir
  5. Fala Roberto, pode colocar lá sem medo. Cara, eu descobri ontem em um post seu falando sobre a conversao de texto via OCR lá n HxR. Nem conhecia isso, digitava tudo mesmo, quando ia transcrever alguma coisa. Como não tenho scanner, fiz um teste com uma foto de camera digital e deu certo, só algumas partes não reconheceu, mas creio porque tirei meio torto, mas mesmo assim adiantou muito. Vou fazer isso daqui pra frente agora.
    depois você me fala se achou o pdf do livro que te indiquei sobre o filme, da para ter uma ideia antes de comprar.

    ResponderExcluir
  6. E nem precisa pedir caso queira dar uma ajuda a divulgar o blog e principalmente o relato. Fique a vontade mesmo. Eu me empolguei com essa do OCR, vai me facilitar muito, sem noção. Obrigado

    ResponderExcluir
  7. Daniel, só comentand hoje, esqueci de comentar isso ontem. Sobre OCR, isso aí é uma maravilha, fora de série mesmo, mas essa ideia que você teve de usar a câmera digital também funciona(na ausência de um scanner), explico o porquê.

    O OCR(programa) faz uma leitura justamente de uma imagem, pode ser do scanner, câmera digital ou PDF(que também usa imagem) e tenta decodificar o formato dos caracteres já previamente programados nele(no caso o alfabeto latino ou dependendo da configuração dele) e vai convertendo a imagem que ele achar parecida com o caractere em letra e consequentemente isso sai em forma de texto.

    Dependendo do OCR usado(pois tem até uns online, meia boca mas quebra um galho, e outros em programa) ele pode converter com precisão o texto contido numa imagem prum arquivo formato de texto etc. Ou seja, se for imagem ele pega e transforma em texto, pode ser imagem de câmera digital(muito mais fácil até do que scanner que você precisaria dobrar as folhas do livro), imagem digitalizada de uma folha de livro via scanner, PDF só com imagem etc.

    Se for imagem ele faz isso. Em suma, você não precisaria mais digitar palavra a palavra dos textos dos livros bastando tirar uma foto digital das páginas e depois convertendo o texto com algum programa OCR que encontrar na rede. Tem uns bons mas eu não instalei ainda. Se quiser dá até pra discutir isso lá na comunidade caso alguém mais leia e dê alguma dica sobre um programa bom de OCR.

    Depois eu vou ver se consigo postar o texto do Rosenberg por lá pois ia fazer uma pergunta sobre ele que é a respeito do livro, pois vi que o livro é organizado por um brasileiro mas deve ter versão dele em inglês(chutando), mas comento isso lá na comunidade mesmo quando postar o texto por lá. Abs.

    ResponderExcluir
  8. Eu estou usando o do proprio google mesmo. Google Doc.
    Esta ajudando muito, fora do comum. Pra quem digita tudo, é uma maravilha.
    Sobre o Zeferino Coelho, ele é portugues

    ResponderExcluir

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...