segunda-feira, 7 de março de 2011

A tragédia na aldeia de Khatyn (não é a mesma localidade onde ocorreu o massacre de Katyn)


Esta é a única foto da mulher
que estava entre essas 149
pessoas queimadas,
 seu nome é Vanda Yaskevich.
Você não vai encontrar esta pequena aldeia bielorrusso em nenhum dos hoje mais detalhado mapa geográfico. Foi destruída pelos fascistas alemães na primavera de 1943.

O massacre ocorreu em 22 de março de 1943. Depois que os homens da SS e policiais chegaram na aldeia, eles a cercaram. Os habitantes da aldeia não sabiam nada sobre o fato que ocorreu pela manhã, onde um comboio motorizado fascista foi atacado por fogo em uma estrada a apenas 6 km de Khatyn. Como resultado, um oficial alemão foi morto. Os habitantes de Khatyn eram inocentes, no entanto a sua sentença de morte já tinha sido pronunciada. Todas elas - jovens e velhos, mulheres e crianças - foram expulsos de suas casas em direção a um galpão. Os fascistas despertaram os doentes de suas camas com coronhadas. Eles não tinham misericórdia, nem para os velhos, nem para as mulheres com bebês nos braços. A família de Joseph e Anna Baranovsky com seus 9 filhos estava entre eles. Assim, foram Alex e Alexandra Novitsky com os seus 7 filhos. Da mesma forma, houve 7 filhos na família de Kazimir e Iotko Elena, e o menino mais novo tinha apenas 1 ano de idade. Vera Yaskevich também foi levada para o galpão e com ela o filho Tolik, de sete semanas de idade. A pequena Lena Yaskevich primeiro tentou se esconder no quintal, mas então decidiu tomar refúgio seguro na floresta. Balas fascistas não foram capazes de apanhar a menina correndo, portanto, um dos fascistas correu atrás dela e depois de ter ultrapassado a menina, a matou diante dos olhos do pai, que estava enlouquecido de terror. Entre os que pereceram, havia também duas pessoas de outras vilas que por acaso se encontravam em Khatyn no momento. Estes foram Anton Kunkevich da vila de Yurkovichi e Slonskaja Kristina da vila de Kameno.

Nenhum dos adultos conseguiram escapar. Apenas três crianças - Volodia Yaskevich, sua irmã Sonia e outro rapaz com o nome Sasha Zhelobkovich - foram capazes de se esconder dos fascistas. Quando todas as pessoas finalmente estavam no barracão, a porta foi trancada e os nazistas cobriram o celeiro com palha, encharcaram com gasolina e atearam fogo. Em um momento o galpão de madeira estava em chamas. As crianças choravam e sufocavam na fumaça. Os adultos estavam tentando resgatá-los. As portas do galpão não suportaram a força e a pressão das dezenas de pessoas e por isso caiu. Pessoas horrorizadas atingidas pelo fogo e com suas roupas queimando tentaram escapar das chamas, mas os nazistas calmamente as fuzilavam a tiro de rifles e metralhadoras. 149 pessoas, incluindo 75 crianças menores de idade foram queimadas vivas. O bebê mais novo tinha apenas 7 semanas de idade. A vila foi então saqueada e queimada.

As meninas de duas famílias diferentes - Maria Fedorovich e Yulia Klimovich - foram salvas por milagre. Elas milagrosamente conseguiram fugir do galpão e rastejar para a floresta. Carbonizadas, meio vivas, elas foram encontrados pelos habitantes da aldeia de Khvorosteny, do conselho da aldeia Kameno. Infelizmente, esta aldeia também foi posteriormente queimada e as duas meninas foram mortas.

Na aldeia de Khatyn apenas duas crianças sobreviveram. Eles são Victor Zhelobkovich de sete anos de idade e Anton Baranovsky de 12 anos, que estavam no celeiro. Uma jovem de nome Anna Zhelobkovich também estava no galpão. Juntamente com algumas das outras pessoas horrorizadas com suas roupas queimando, ela tentou sair do galpão, que estava em chamas. Ela estava segurando firmemente a mão de seu filho de Vitia. Um momento depois, ela foi fatalmente ferida e como ela foi caindo no chão, cobriu o filho com seu corpo. A criança foi ferido no braço. Ele se deitou no chão sob o cadáver de sua mãe até os nazistas finalmente deixarem a aldeia. Quando Anton Baranovsky fugiu do celeiro, ele foi ferido na perna por uma tiro. E assim os fascistas o confundiram com um menino morto.

Habitantes de aldeias vizinhas pegaram todas as crianças feridas e com queimaduras graves e levaram-as para um orfanato na cidade Pleshinitsy, onde foram criados após a guerra.

O único testemunho de um adulto no massacre Khatyn, é de um ferreiro de 56 anos de idade, Joseph Kaminsky, que também ficou ferido e queimado, mas recuperou a consciência, tarde da noite, quando os fascistas já tinham ido embora. Ele teve de sofrer um duro golpe, no entanto. Entre os cadáveres dos outros moradores, ele encontrou seu filho. Ele foi mortalmente ferido no abdômen e teve queimaduras graves. O menino morreu nos braços de seu pai.
Joseph Kaminsky
A. Baranovsky
V. Jelobkovich









"O Homem Invicto"
Esse momento trágico na vida de Joseph Kaminsky é a base da unica escultura do complexo memorial: "O Homem Invicto"

A tragédia da Khatyn não é apenas um episódio ocasional desta guerra. É um dos milhares de fatos, que atestam a existência da política de genocídio em relação à população alvo da Bielorrússia. E os nazistas estavam perseguindo essa política durante todos esses anos de ocupação alemã. Centenas de catástrofes semelhantes ocorreram nos três anos (1941 - 1944) na ocupação do solo bielo-russa.



Traduzido: Daniel Moratori (avidanofront.blogspot.com)
Fonte:

3 comentários:

  1. O texto precisa de algumas correções simples de concordância na tradução.

    Tenho o filme russo VÁ E VEJA que trata da ocupação nazista na Bielo Rússia.

    Um verdadeiro massacre.

    ResponderExcluir
  2. É triste saber que por intolerância, revanchismo os homens são capazes de fazer tais atrocidades contra pessoas indefesas.

    ResponderExcluir
  3. UM DIA O MUNDO VAI FICAR LIVRE DESTA VIOLENCIA.

    ResponderExcluir

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...