quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Kapos

Kapos  judeus prestam continência a oficial alemão.
Kapo era um termo usado para certos presos que colaboravam com os nazistas nos guetos e nos campos de concentração em várias posições administrativas mais baixas. A palavra oficial nazista foi Funktionshäftling, ou "prisioneiro funcionário".

A palavra alemã Kameraden Polizei pode também significar “capataz/contramestre” e “oficial inferior", e deriva-se do francês para o “cabo” (caporal) ou da palavra italiana capo.  O surgimento do termo ainda tem certa controvérsia.

Os kapos recebiam mais privilégios que os presos normais, para quem eram com freqüência brutais. Os kapos freqüentemente eram presos que tinham se oferecido para fazer esse trabalho, na troca para uma sentença reduzida ou uma liberação supervisionada antes da conclusão de sua sentença. Dependendo do campo, os privilégios mudavam, geralmente recebiam melhor alimentação,  melhores roupas e um local melhor para dormir. Sendo que a alimentação era um dos pontos fundamentais para sobrevivência nos campos, mas mesmo tendo a ração extra, muitos ainda roubavam dos prisioneiros ou não entregavam toda ração que lhes eram destinadas.

Para a maior parte, Kapos eram encarregados de grupos de trabalhadores, mas também havia Kapos para os hospitais ou as cozinhas. Alguns campos ainda tinha uma hierarquia: Oberkapo, Kapo, Unterkapo.

Nos campos de extermínio, eles geralmente foram assassinados e substituídos com um grupo novo dos prisioneiros em intervalos regulares. Muitos desses Kapos eram criminosos comuns, que ostentavam o triângulo verde no peito. Eles eram o nº 1 na prioridade dos alemães na nomeação para esse serviço, pois  na visão dos alemães, era melhor um criminoso comum alemão levar essa vantagem do que outros grupos, como por exemplo judeus, comunistas, homossexuais... Mas isso não impediu de muitos kapos serem de outra raça, etnia, partido politico e religião. Geralmente os prisioneiros políticos conseguiam derrubar os Kapos e nomear pessoas de suas próprias fileiras, para beneficiar uma grande parcela de presos.

O sadismo e a brutalidade de muito desses homens, que muitas vezes roubavam alimentos dos presos, era evidente nos campos, que . chegava a se comparar com os próprios SS. Mas alguns Kapos exerceram o seu poder de forma humana e com sensibilidade e trabalharam para ajudar os seus companheiros de prisão.

Fontes:
http://www.jewishvirtuallibrary.org/jsource/judaica/ejud_0002_0011_0_10732.html
Adaptei os texto, mesclando os dois, e inclui na dos triângulos verdes e seus privilégios uma curiosidade que não podia deixar passar, sendo que algumas coisas dita acima foram retiradas das obras de Christian Bernarc.

Transcrição por : avidanofront.blogspot.com/

2 comentários:

  1. Extremamente interessante o post,realmente desconhecia desses grupos de prisioneiros,nem imaginava que existissem,meus parabéns ao blog,realmente cada vez me ajudando mais para compreender a história da WW2

    ResponderExcluir
  2. Deivson Sampaio Souza23 de maio de 2016 06:18

    Muito legal a informação conhecia algo sobre o assunto mas é sempre bom ouvir informação de qualidade.

    ResponderExcluir

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...