quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Unidades militares punitivas russas





Unidades militares punitivas - unidades do Exército, no qual em tempo de guerra,  são enviados como castigo soldados que cometem crimes (exceto crimes graves para os quais se baseia a pena de morte ).

Unidades militares punitiva existiam sob a forma de batalhões punição e companhia penal. Na força aérea por um curto período de tempo, houve esquadrão punitivo.

Além do Exército Vermelho, unidades punitivas estavam nas forças armadas de outros estados.


Unidades militares penais na URSS


As unidades penais existiram no Exército Vermelho a partir de 25 julho de 1942 à 06 de junho de 1945; foram dirigidas para as partes mais difíceis da frente, para dar a possibilidade dos batalhões penais "de pagar com sangue à Pátria"; ao mesmo tempo, foram inevitáveis perdas de pessoal.

A primeiro unidade penal empregada foi durante a Segunda Guerra Mundial, onde foi formado no Exército um batalhão penal independente, no 42º Exército da Frente de Leningrado - foi em 25 de julho de 1942, três dias antes da famosa Ordem № 227 . Como parte do 42 º Exército, lutou até 10 de Outubro 1942, e foi dissolvido. A unidade penal mais recente, o 32 º batalhão penal independente do 1º Exército de Choque, se desfez à 06 de junho 1945.

Durante todos os anos da Segunda Guerra Mundial, através de unidades penais teve ter passado, de acordo com algumas fontes, 427.910 pessoas. Se considerarmos que por toda a guerra passou pelo exército 34.476.700 pessoas, a percentagem de soldados e oficiais do Exército Vermelho que passaram por unidades penais para todo o período da Grande Guerra Patriótica, era cerca de 1,24%.

Por exemplo, em 1944, a perda total do Exército Vermelho (mortos, feridos, presos, doentes) - 6.503.204 pessoas, das quais o penais - 170 298. Total em 1944, o Exército Vermelho tinha 11 batalhões penal de 226 pessoas cada um, e a 243 companhias penais de 102 pessoas cada. O número médio mensal no Exército de companhia penais, em 1944, em todas as frentes variou 204-295. O ponto mais alto o número diário no Exército de companhia penais (335 boca) foi alcançada por 20 de julho de 1943.

Batalhão penal avança em reconhecimento sobre fogo inimigo
Batalhão penal

Batalhão penal (Batalhão de Processo Penal) -  Unidade penal com a categoria de batalhão .

De soldados do Exército Vermelho foi até oficiais de todas as armas, militares ou condenados por crimes comuns. Estas unidades foram formadas sobre as ordens do Comissário de Defesa do Povo da URSS № 227 de 28 de julho de 1942 na gama de frentes em uma quantidade de 1-3 (dependendo da situação). Eles somavam  800 pessoas. O batalhão penal  era comandado por oficiais regulares.


Companhia penal

Companhia penal - Unidade penal com na categoria de companhia .
Dentro do Exército em quantidades 5-10 (dependendo da situação). Eram 150-200 pessoas. Comandado por oficial regular.

Esquadrão aéreo penal


Esquadrões penais foram criados em todas as frentes, sendo 3 esquadrões, para os pilotos que tenham manifestado, covardia, sabotagem e egoismo. Existiu desde o verão de 1942 até o final de 1942. Com duração de cerca de 1,5 meses. "O segredo" dos documentos sobre assuntos penais e esquadrões penais foi retirada em 2004.


Estado das unidades  punitivas militares

O pessoal do batalhão penal eram divididos em composição variáveis e constante. Composição variável representou diretamente nos batalhões penais os que estavam na unidade temporariamente, até o término da sua pena (até 3 meses), transferidos para uma unidade comum, pela sua bravura, quer por lesão. A composição constante eram os comandantes do pelotão e, sobretudo, os nomeados de entre oficiais de carreira, os trabalhadores políticos e trabalhadores efetivos (comunicadores, funcionários, etc) e pessoal médico.

Pessoas, dentre os membro permanentes de uma unidade de punição eram compensados por uma série de benefícios - para a reforma do serviço, um mês é contado como seis meses de serviço, e os funcionários recebem um maior subsídio (comandante do pelotão para receber rublos, mais 100 do que suas contrapartes no lado normal) e um aumento da oferta de certificado de alimentos e era comum receber aumento da oferta de alimentos.

O tamanho do batalhão penal em numeros era de 800 homens, e companhia penal  200.


Motivos para envio para as unidades militares punitivas

A base para o envio de um técnico a uma unidade militar penal era a ordem do comando, em conexão com violação da disciplina militar ou ao veredicto do tribunal para a mobilização de forças militares ou  crime comum (exceto para o crime pelo qual a punição era a pena de morte).

Como pena alternativa foi permitido na área da companhia penal,  civis que tenham sido condenados por um tribunal e com uma sentença judicial por prática de pequenos crimes e crimes moderadamente comuns. Pessoas condenadas por crimes graves e de crimes contra o Estado, cumprindo pena na prisão. 

Há uma percepção de que, em batalhões penais eram enviados as pessoas que cumpriam penas por crimes graves e de crimes contra o Estado (os chamados "políticos"). Esta declaração tem uma certa razão, pois houve casos da direção na unidade dar sanção "política" a prisioneiros (em especial, em 1942, quando na 45ª   companhia penal foi enviado um condenado em 1941 por 5 anos nos campos, de acordo com 58ª artigo, Vladimir Karpov, que mais tarde se tornou o herói da União Soviética e um escritor famoso). Ao mesmo tempo, nos termos em vigor na época, normas que regulam o procedimento para o envio de uma parte punitiva na aquisição de partes de uma determinada categoria específica de pessoas não foi prestada . Uma pessoa que já está cumprindo pena na prisão, de acordo com a operação no momento do "Código de Processo Penal"  e do "Campo de Trabalho Forçado"  foram obrigados a servir o seu tempo apenas em instituições penais. Como exceção, a pedido pessoal do Comissário do Povo dos Assuntos Internos L. Beria, uma pessoa entre os condenados que cumprem penas em campos de trabalho, colônias de povoamento, independentemente do tipo (exceto os condenados por crimes graves e hediondos e de governo), pode ser perdoado ou ter liberdade condicional por comportamento exemplar, e cumprindo um plano, em seguida recrutados para o exército regular. Da mesma forma, não poderiam ser enviados para os batalhões penais cumprindo uma sentença de " ladrões" .

Motivos para a liberação dos militares de unidades penais

Os motivos para a libertação de pessoas que cumprem penas em unidades militares penais, foram:

- Pena cumprida (não mais de três meses).
- Obtidos pelos militares, servindo na sua sentença de lesões, moderada ou grave que requer hospitalização.
- Resolução do Conselho Militar, a pedido do comandante da unidades militares punitiva sob a forma de promoção para os militares, que têm demonstrado coragem e bravura.



Traduzido por: avidanofront.blogspot.com

Um comentário:

  1. Lendo isso não dá pra não sentir uma vontade imensa de rir daquele pessoal defendendo a "teoria"(picaretagem, hehehehe) do Suvorov sobre Stalin, o bigodinho psicopata da Georgia quase levou a URSS a catástrofe diante dos nazis na guerra por conta da tirania, paranoia e incompetência dele. Tem uma série da BBC em 4 episódios apenas, não me lembro do nome mas é sobre o ataque da Alemanha nazi à URSS onde vários veteranos do lado alemão dão os relatos dele sobre a ofensiva, onde fica claro o desespero e despreparo dos soviéticos no começo da ofensiva da Alemanha. Parece que o desespero fez milagres pros caras conseguirem suportar o ataque dos nazis. Crédito total pela reviravolta na guerra sobre Alemanha, assegurando a sobrevivência deles, é do povo soviético e não de Stalin. Que no fim e depois da guerra ainda tiveram que suportar a tirania do bigode da Georgia. Um dos melhores documentários que retratam essa etapa da guerra e a figura de Stalin(como um tirano mesmo, no "sentido clássico") sem aqueles estereótipos histéricos da extrema-direita pra livrar a cara do cabo genocida austríaco.

    ResponderExcluir

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...