domingo, 19 de dezembro de 2010

Carta do Sargento Evgueni Strchurov, sobre os assassinatos na aldeia de Budionovka

18 de outubro de 1942

Budionovka, minha terra natal... diante dos meus olhos surgem imagens familiares: casas brancas escondidas na verdura dos cerejais, ruas retilíneas que descem para o mar. Foi lá que eu nasci, foi lá onde passei a infancia e adolescencia. E eis que os jornais me informam sobre os meus compatriotas. Fiéis às tradições sagradas dos meus avós, os cossacos do Don lutaram corajosamente contra o inimigo. Os alemães martirizavam os cidadãos soviéticos. As bestas sanguinárias mataram uma criança de quatro anos; fuzilaram rapazes e raparigas às dezenas, cujas roupas vendiam ou mandavam para a Alemanha. Os fascistas fuzilaram Catarina Skoroiedova, o velho Saveli Petrovitch Stepanenko, o jovem sapateiro Alexandre Iakubenko, Ludmila Tchukanova, de dezessete anos. Todos são meus conhecidos amigos.

O meu coração está cheio de ódio pelos bárbaros fascistas. O meu único desejo é vingar a morte dos meus amigos de infância  o sangue dos cidadãos russos que imundou as ruas da minha aldeia natal. Basta-me fechar os olhos para ouvir a voz da minha amada, - para ver estender-me os braços, implorando-me socorro.

Evgueni Stchurov

Transcrição por: Daniel Moratori - avidanofront.blogspot.com
Fonte: COELHO, Zeferino - O crime metódico. Ed. Inova Limitada - pg.80

Para entender melhor essa carta, leiam esse artigo que postei:

Extrato do diário de Friedrich Schmidt, o torturador de Budionovka


9 comentários:

  1. Mais uma carta falsificada pelas autoridades do partido comunista assassino soviético, com somente um intuito, disseminar ódio e medo em meio aos sofridos e miseráveis camponeses russos, para que estas humildes pessoas, ficassem cegas de ódio e combatessem o que vos era pregado como "inimigo" em uma luta desprovida de honra, em mais uma guerra idiota,foram propagandas mentirosas e nojentas como essa que esta sendo novamente propagada aqui, que impediram o povo grande povo russo de libertar-se das garras do partido comunista.Esta estupida guerra foi provocada por forças "ocultas" internacionais, com apenas um objetivo, enfraquecer os povos europeus, quem desejava isso, e ainda deseja, definotivamente não é europeu, mas sempre esteve infiltrado no meio dos povos.

    ResponderExcluir
  2. Mais uma carta falsificada pelas autoridades do partido comunista assassino soviético, com somente um intuito, disseminar ódio e medo em meio aos sofridos e miseráveis camponeses russos, para que estas humildes pessoas, ficassem cegas de ódio e combatessem o que vos era pregado como "inimigo" em uma luta desprovida de honra, em mais uma guerra idiota,foram propagandas mentirosas e nojentas como essa que esta sendo novamente propagada aqui, que impediram o povo grande povo russo de libertar-se das garras do partido comunista.

    Primeiro, de onde você tirou que é falsificada, ou é só "dedução"??
    Em segundo lugar, esse mesmo "sofridos e miseráveis camponeses russos" foram o que sofreram nas mãos dos Einsatzgruppen, vide os relatorios sobre eles que já postei aqui, inclusive postei sobre a aldeia de Zabolotié, ou de Borki, onde até os cartuchos usados eram documentados em relatório, tamanha a meticulosidade alemã.

    ResponderExcluir
  3. Desculpe-me Daniel se minhas palavras soaram ao seu entender de alguma forma rudes ou mesmo errôneas e precipitadas, essa não é, e não foi minha intenção, não estou dizendo que não reconheço o sofrimento da população russa durante a guerra, o fato é que todos sofreram nesta estúpida guerra, e não é interessante ficar ressaltando quem sofreu mais ou apenas ressaltar o sofrimento de uma das partes(como ocorre infelizmente neste blog). Agora quanto a sua indagação se é dedução, pode-se dizer que em parte sim, é sabido que as autoridades militares sejam elas quais forem, adulteram as cartas dos soldados, com o objetivo de motivar o front domestico durante o conflito, todos faziam isso e continuam fazendo, é também sabido que documentos produzidos por autoridades soviéticas eram os mais adulterados, e não merecem muito prestigio ou confiança, ainda mais durante a assim proclamada por eles de "a grande guerra patriótica". Já a sua afirmação sobre a Einsatzgruppen, nós entramos em diferentes questões, questões sobre como se combater em uma guerra, o principio geral sobre como combater com honra, que vem de principios estabelecidos a séculos, que estabeleceram as leis da guerra, pois diferentemente do ditado popular na guerra não vale-tudo, e para se combater é necessário estar devidamente uniformizado para representar o estado que está defendendo, e pertencer a unidades devidamente estabelecidas, o que infelizmente não ocorria sempre em território soviético, camponeses não uniformizados e que não pertenciam a nenhuma unidade de combate atacavam unidades de combate alemãs no que segundo as leis da guerra são considerados atos terroristas, e segundo estas mesmas leis, os responsáveis devem ser fuzilados, é triste, mas é o correto, para tentar manter o minimo de ordem em uma guerra, vide o exemplo alemão, que criaram volkssturm, que apesar de não serem soldados profissionais estavam devidamente uniformizados e faziam parte de unidades militares, a Einsatzgruppen foi criada para destruir estes "terrorismos", não nego que crimes de guerra ou exageros foram cometidos por esta unidade, como já disse todos os lados cometeram crimes e sofreram, não nos cabe julgar quem era o "mocinho" ou o menos pior. Sou historiador e sei muito bem como tratar os fatos, a história deve sempre ser posta em dúvida e não ser exposta como se você "verdade", pois afinal, como já foi dito por um filósofo: "Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas".
    Agradeço a você Daniel que postou minhas palavras, e não as censurou como é de costume, quando o assunto é segunda guerra, posso não concordar com suas opiniões mas as respeito, e defendo que todos possam expressar suas idéias, isto chama-se liberdade, e ela é linda, acredito que um dia todos nós poderemos desfrutar dela.Espero que possamos depater mais.

    ResponderExcluir
  4. Sobre a primeira parte, o blog não ressalta com enfase nenhuma das partes dos envolvidos no conflito, tanto que nas postagens, tem varias que relatam o sofrimento da população e soldados alemães na antiga URSS, a cartas de soldados alemães, parecidas com a que está acima supracitada e postagens sobre os genocídios praticados pelos britânicos, o massacres de civis alemães e outros mais. Então, o blog não pode entrar nessa categoria de defensor dos ganhadores, como esta dizendo na própria citação do blog na coluna superior da extrema direita, em cima da caixa de "Seguidores".

    ResponderExcluir
  5. Sobre a parte que você declara sobre os Einsatzgruppen, os camponeses então são os Partisans, já que homens sem uniformes com armas atacando unidades de combates alemães entram nesse grupo.
    O interessante é que os Einsatzgruppen matavam tudo o que vinha pela frente, desde deficientes a pessoas normais. Vou postar uma serie de relatório sobre a ação desses grupos, como ando postando esses recentemente. É tão facil de rebater a acusação dos Partisans que sempre o numero de armas apreendidas era infinitamente menor do que o numero de mortos.
    A barbaridade e o sistema que eles usavam eram cruel e sem escrupulos, como exemplo Babi Yar.
    O numero de mortos por esses grupos só tende a aumentar, se paises como Bulgaria, Romenia, Hungria e outros no Leste Europeu liberassem a pesquisa sobre valas comuns.


    A luta contra partisan foi feitas de outras formas mais eficientes, não com os pequenos grupos das Einsatzgruppen, veja por exemplo as sete grande ofensivas anti-partisan, onde englobaram exercitos alemães, búlgaros, croatas, húngaros, italianos...

    Só para te mostrar como eles tinham outra missão diferente do "terrorismo" que você citou, na invasão na URSS, eles, diferentemente do que aconteceu na Polonia, eram agora subordinados ao exercito quanto a movimentação, rações e acomodações, mas quanto a disciplina, jurisdição e questões técnicas eram ligadas diretamente a Heydrich, que dava as ordens. O exercito, mesmo insistindo que próximo a linha de frente os grupos deveriam ficar subordinados a eles, tiveram esse direito seriamente circunscrito.

    Os Einsatzgruppen foram uma das mais terríveis paginas da historia alemã. Para uma compreensão melhor, sugiro que leia a respeito de Otto Ohlendorf, que explica até as ordens de Himmler para o extermínio de judeus.


    Ah, e de nada pela liberação do comentário, só se surgir algo de cunho racista em alguma postagem anônima de qualquer pessoa eu deleto. Peço por favor, que se for possível, se identificar.

    ResponderExcluir
  6. Como já havia dito não nego que a Einsatzgruppen tenha cometido crimes, acredito nisso, não é necessário me "doutrinar" a este respeito, agora dizer que "matavam tudo que aoarecia pela frente" é uma generalização, eles estavam sobe comando direto de Himmler, e não me cabe agora analisar o caráter e tão pouco fazer um diagnóstico psicológico de himmler para dizer se ele realamente seria capaz de ordenar atos de tamanha desonra. O fato é que a Einsatzgruppen acabou desviando-se de seu objetivo original, sendo absorvida como uma espécie de filial da Gestapo, e esta assim como outras organizações que existiram e ainda existem, servia como um instrumento de repressão, com a finalidade de proreger a ideologia de determinado Estado, utilizando-se dos piores atos que podem serem praticados por "seres humanos", posso citar alguns exemplos, como a KGB que cometeu crimes horriveis durante suas longas décadas de existência, torturando e matando milhares talves milhões de pessoas que consideravam indesejáveis a sua ideogia, também cito a C.I.A americana que a tantos torturou e matou, quem sabe continua matando as escondidas, afinal Guantánamo ainda está em funcionamento, e por fim posso citar o DOPS aqui em nossas terras que cometeu crimes intermináveis, e porquê?, bem, pela mesma razão de todos os outros, proteção da ideologia, todos que se opõe devem ser eliminados. Parece ridículo, mas é isso que aconteceu e continua acontecendo. Como também já havia dito ainda espero poder ver antes de morrer algum lugar onde todos nós poderemos dizer o que pensamos e aceditamos, sem correr o risco de também sermos considerados "indesejáveis" as ideologias dominantes. Percebi que você possui uma certa obsessão por documentos que você acaba considerando como "provas", bem, como cientistas da história não posso, ou melhor, nós não podemos cometer tal equívoco, afinal o objetivo de um documento é convencer o espectador que o verá, é que ele transmite a "verdade", por esta razão todo documento está antes de tudo sobrecarregado pela ideologia de quem o produziu, além do mas, você tal como eu, não pode provar a veracidade de tais documentos, acreditar em algum deles seria uma questão de fé e não da razão. Voc~e também citou que iria utilizar-se de confissões como provas, bem, é sabido que as poucas confissões que houveram por oficiais alemães depois da guerra foram obtidas sobe forte tortura, e desta forma nenhum tribunal de direito legalmente estabelecido pode considerar de alguma forma tais "confissões", e já disse que não há necessidade, pois não duvido que crimes e exageros foram cometidos de ambos os lados, embora muitos dos crimes cometidos, talves a maior parte deles pelas Einsaztgruppen, não foram cometidos por "alemães", pois como você bem sabe e já disse, havia centenas de milhares de homens voluntários de diversificadas nações nas unidades de combate alemãs, a maioria deles provinha de nações que estavam sobre dominio do criminoso partido bolchevique, tais quais como Ucranianos, bielorrussos, romenos, bulgáros, estonianos, letônios e etc. Estes homens estavam sem dúvida carregados de ódio e sentimento de vingança em relação aos bolcheviques ou russos, que haviam invadido seus territórios e utilizado-se de extrema repressão para introduzir sua ideologia.
    Quanto a minha identificação, gostaria de exercer meu direito de sigilo, existem muitos seres desprovidos de caráter expalhados pela web, que não entenderiam minha posição de neutralidade. Minha única ideologia chama-se liberdade, por esta razão sou contra todo ou qualquer sistema que privê a liberdade. Qualquer comentário de cunho racista que poderá aparecer, pode ter a certeza que não será meu, isto não é de meu feitio. Se assim desejar posso identificar-me somente a você.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  7. Não entendi essa sua colocação "como uma especie de filial da Gestapo", já que os Einsatzgruppen tinham uma função muito diferente. Até tentaria entender se você disse-se do HSHA e o SD. Erich von dem Bach-Zelewski confirmou que essas unidades tinham o objetivo de assassinatos, como todos estão carecas de saber(mas como os testemunhos são sempre forçados, feitos sobre ameaça, torturados... um detalhe é Erich Priebke, que foi ex-capitão da Gestapo e co-autor de um massacre de 330 civis italianos em Roma, e que em 1994, aqui na Argentina, em Bariloche, foi flagrado pela rede de TV ABC e lamentou os atos e assassinatos de milhões pelos nazistas, e olha que não tinha ninguém torturando e ameaçando ele).
    Essa comparação que você fez ente a KGB, a CIA, o DOPS é muito diferente dos Einsatzgruppen. Compara-la com a Gestapo seria mais cabível, pois ai sim o nível entre elas se nivelaria a ponto de se debater o tipo de método adotado entre as mesmas.
    Sobre a parte de documentação, qualquer historiador só da valor a uma materia se ela tiver uma fonte, e documentada. Como observou, dou bastante atenção a documentos e provas originais. Como também como você citou, os documentos podem ser falsificados, mas até que provem o contrario, são originais. O interessante é que, mesmo sabendo das milhares de mortes que os nazistas causaram, não é aceito nenhum documento por "revisionistas" que confirmam os assassinatos, sempre vem com a onda de falsificados. É como se os alemães conseguissem falar tudo por palavras, de boca em boca, e que consumissem todas as provas materiais existentes.
    Mas aceitam como a verdade absoluta os documentos que comprovam que Churchill deixou morrer de fome indianos. Postei aqui no blog essa materia. Nessa hora não aparece ninguem para falar que os documentos são nulos, falsificados.
    Sobre os colaboradores, essa parte é interessante, pois a ajuda foi grande, pois o anti-semitismo no leste europeu era enorme, não há como negar. Tanto que sempre que possível estou postando materias sobre isso, por exemplo vide as materias sobre o Ustasha, que quase ninguém diz nada. O leste europeu ainda é obscuro até hoje, tanto que paises como Romênia, Bulgária e companhia dificultam o máximo o trabalho de estudiosos, por exemplo em procura de valas comuns.

    ResponderExcluir
  8. Se não quiser se identificar, não precisa, está no seu direito, só acho ruim conversar com um anônimo, já que o papo não vai desbaratar para nenhum lado ideológico ou racista, não há porque se esconder.

    Aproveitando, já que você duvida da autenticidade de documentos, acredita no documento de Katyn, que foi liberado pelo governo russo provando que Stalin mandou matar os polacos?

    ResponderExcluir
  9. É bem surpreendente, já que no final eu jamais imaginei que as pessoas trocassem cartas durante as guerras [ah, tá tdo mundo concentrado em tiros aqui e ali que até esquecemos que há sentimentos envolvidos nisso]

    "Basta-me fechar os olhos para ouvir a voz da minha amada, - para ver estender-me os braços, implorando-me socorro."

    Essa parte foi, com certeza, a que mais me tocou. Um rapaz apaixonado. Imagino sua tristeza.

    ......Quem dera que os garotos hoje em dia TALVEZ sentisse o mesmo. Mas é bom não generalizar, não?

    ResponderExcluir

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...