terça-feira, 21 de julho de 2009

PzKpfw IV F2 / G


PzKpfw IV Ausf. F2 com um canhão de 75mm L43


PzKpfw-IV F2 / G (Panzer IV)
Carro de combate leve (Krupp)


Fabricante: Krupp - Alemanha
Tripulação: 5
Comprimento: 5.91 - Largura: 2.86M - Altura: 2.68M
Peso vazio: 22000Kg. - Peso preparado para combate: 23500Kg.
Motor/potência/capacidades
Sistema de tracção:Lagartas
Motor: Maybach HL 120TRM 12V Potência: 300 cv
Velocidade máxima: : 40 Km/h - Velocidade em terreno irregular: 16 Km/h
Tanque de combustível: N/disponível Autonomia máxima: 210Km


Armamento básico
- 1 x 75mm KwK / StuK-40 L/43 (Calibre: 75mm - Alcance estimado de 1.3Km a 1.3Km)
- 2 x 7,92 Dreyse L/57 MG-34 (Calibre: 7.92mm - Alcance estimado de 1.2Km a 1.2Km)

Sistema de radar auxiliar:
A versão «G» foi uma versão intermédia do tanque IV. A principal característica deste modelo é a utilização de um canhão de cano longo (43 calibres) em substituição do canhão de cano curto que caracterizava este carro de combate alemão, inicalmente concebido para a função de apoio e não para a função de combater directamente os tanques inimigos.
Na verdade o primeiro modelo a receber este novo canhão foi o modelo F, que ficou conhecido como modelo «F2».
A produção da série «F2» foi o resultado da urgente necessidade de um carro de combate com um canhão de 75mm de alta velocidade de disparo e que pudesse perfurar a blindagem dos tanques russos como o T-34 e o mais pesado KV-1.

Um novo tanque e uma nova utilização táctica
Quando o Panzer IV modelo «F2» em Março e o modelo «G» em Maio aparecem na frente de batalha[1], eles aparecem como carros de combate completamente novos, pois a sua função principal deixou de ser a de tanque de apoio, para passar a ser o carro de combate principal da Alemanha, que tinha sido inicialmente desenhado para ser um tanque dedicado a dar apoio aos blindados contra posições de infantaria, passou de um momento ao outro a ser o principal tanque alemão.

Um tanque para enfrentar o T-34
A introdução do Panzer IV G, deu às unidades blindadas da Wermacht uma sensação de segurança e invulnerabilidade que está documentada. Depois dos reveses do Inferno de 1941, em que os alemães tinham recuado na frente de Moscovo, as tropas blindadas estavam convencidas de que dispunham agora de um carro de combate capaz de combater com o T-34 de igual para igual. Essa vantagem teórica está expressa no sentimento das unidades alemães que em 1942 avançaram pela Ucrânia até Estalinegrado.

Mas na realidade embora com uma qualidade de construção elevada, tipica das fábricas alemãs, o projecto não permitia aumentar muito mais a potência da sua arma principal, embora o projecto tivesse sido levado ao limite com as versões seguintes com a introdução do canhão de 75mm e 48 calibres.
Além do armamento, o modelo «G» do Panzer IV também se caracterizou por mais um aumento e reforço na blindagem, nomeadamente frontal, e os últimos modelos «G», além do canhão L/48 também receberam saias adicionais de protecção.
Embora armados com o novo canhão longo, estes carros de combate continuavam a ter capacidade para utilizar a munição mais antiga, adequada para lutar contra posições de infantaria ou para disparar contra viaturas não blindadas. Esta capacidade foi explorada durante os combates do final de 1942 em Estalinegrado, em que várias unidades blindadas estavam equipadas com estes modelos e foram utilizadas nos combates de rua contra ninhos de metralhadoras e posições fortificadas pelos soviéticos.
Inicialmente foram produzidos 1275 (modelo SdKfz 161/1) veículos equipados com o canhão L/43, introduzidos a partir de Maio de 1942 e numa sub-série mais pequena, foi posteriormente introduzido o canhão L/48 (mais longo e com maior alcance) numa série que totalizou 412 unidades, introduzida a partir de Março de 1943 (modelo SdKfz 161/2).


PzKpfw IV Ausf G com o canhão L/43, menor em comprimento e de menor alcance.

PzKpfw IV Ausf G com o canhão L/48, mais longo e de maior alcance.


Informação genérica:

Numericamente, trata-se do mais importante carro de combate alemão durante a II Guerra Mundial. O Panzer.IV foi o unico tanque alemão produzido durante toda a guerra, e provavelmente durante mais tempo que qualquer outro carro de combate durante o conflito.
Inicialmente o Panzer-IV era um tanque de apoio, com um canhão de 75mm destinado não a perfurar a blindagem dos tanques inimigos, mas sim a atacar a infantaria inimiga em pontos fortificados, onde uma peça de alta velocidade não tinha grande utilidade. A função de atacar os blindados inimigos estava aliás destinada ao Panzer-III (mais pequeno).
Mas a partir de 1941, com a invasão da União Soviética, os alemães entenderam que o armamento de 37mm e de 50mm dos seus tanques Panzer-III não era suficiente para derrotar a blindagem dos tanques russos T-34 e KV-1, que embora estivessem operacionais apenas em pequenas quantidades, foram considerados como uma ameaça temível.
Tendo chegado à conclusão de que o Panzer III (por definição o veículo destinado à função anti-tanque) era muito pequeno para colocar canhões maiores, foi decidido que o Panzer-IV (como também era conhecido o PzKpfw-IV) seria o principal tanque alemão na luta contra a Rússia.
A partir de 1941, e como resultado da invasão da URSS o Panzer IV, que era o maior tanque alemão, mas não tinha sido concebido para atacar blindados, começa a ser modificado com o objectivo de alterar completamente a sua função. .
Logo no inicio da Operação Barbarosa (e de emergência), a industria alemã produziu uma munição especial, que podia ser disparada do canhão KwK-37-L/24 e ser eficiente contra os tanques russos, mas mesmo assim as suas prestações não eram vistas como suficientes.
Pouco mais tarde os Panzer IV passaram receber um canhão de 75mm de alta velocidade (Ver PzKpfw IV/F), o qual foi posteriormente modificado para um cano do mesmo calibre mas ainda mais longo.
O Panzer IV não era claramente o mais eficiente carro de combate alemão, mas ele foi mantido em produção durante muito tempo nas linhas de montagem alemãs por absoluta falta de opções. Mesmo quando Hitler decidiu fechar as linhas de produção do Panzer IV os generais alemães opuseram-se porque a industria não conseguia produzir suficientes números de tanques Panther (PzKpfw-VI) e Tiger (PzKpfw-V).
O Panzer-IV esteve ao serviço durante toda a guerra e mesmo em 1945 ainda havia várias unidades ao serviço
Notar que o chassis do Panzer IV foi utilizado para várias versões adicionais que são descritas separadamente, como por exemplo o canhão de assalto «Sturmgeschutz-IV», ou o caça-tanques «Panzerjager-IV», entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...