sábado, 14 de agosto de 2010

Boris Smyslovsky

Boris Alexeyevich Smyslovsky (também Smyslovsky-Holmston e Holmston-Smyslovsky) (03 de dezembro de 1897 - 5 de Setembro de 1988) foi um general russo, emigrante anti-comunista. Seus pseudônimos foram Artur Holmston e von Regenau. Ele comandou o pró-nazi e colaboracionista 1º Exército Nacional Russo, durante a II Guerra Mundial.

Boris Smyslovsky - terceiro da direita, de cachimbo- com sua esposa e funcionários.

Biografia

Smyslovksy nasceu em Terijoki , Grand Duchy, Finlândia (hoje Zelenogorsk, São Petersburgo, Rússia), e mais tarde se juntou ao Exército Imperial Russo, onde alcançou a patente de capitão da Guarda Imperial.
Durante a Guerra Civil Russa , ele lutou contra os bolcheviquese, em seguida mudou-se para a Polónia, depois para a Alemanha. Lá, ele entrou para a Preußische Kriegsakademie (Academia Militar Prussiana)

Sua visão era de que a intervenção  e ajuda estrangeira era necessária para libertar a Rússia do bolchevismo. Quando a Alemanha invadiu a União Soviética em 1941, serviu na Frente Leste com os batalhões formados que foram usados para combater guerrilheiros. À Smyslovsky foi dado o comando da Sonderdivision R ("divisão especial da Rússia) e se tornou o primeiro russo nos serviços alemães a comandar uma unidade anti-bolchevique na 2ª guerra.

Ele logo percebeu que a ideologia nazista ia de encontro com o seu ponto de vista da utilização inteligente das forças anti-bolcheviques russa e criou tentáculos para a Suíça , caso ele precisaria de asilo na guerra do fim.
Os russos em  Liechtenstein.

1º Exército Nacional Russo 

No final da guerra, a Alemanha aumentou seus voluntários russos no esforço de guerra, e as forças Smyslovsky foram elevadas para o 1º Exército Nacional Russo, em 10 de março de 1945.
Em abril de 1945, Smyslovsky direcionou seus combatentes para Feldkirch, onde se encontrou com o Grão-duque Vladimir Cyrillovich. O exército nesse momento contava com 462 homens, 30 mulheres e 2 crianças, e logo em seguida, mudou-se para o país neutro Liechtenstein , em 2 de maio de 1945. Os russos foram atendidas pela Liechtenstein Cruz Vermelha. Em 16 de agosto de 1945, um soviético delegação chegou ao Liechtenstein , na tentativa de repatriar os russos, e conseguiram que cerca de 200 do grupo concordassem em retornar, por meio de ameaças, sejam pro meio de promessas. Eles partiram em um trem para Viena e nada foi ouvido novamente sobre eles (foram fuzilados no meio do caminho por soldados soviéticos). O restante ficou em Liechtenstein por mais um ano, resistindo com o apoio de Liechtenstein à pressão por parte do governo soviético para participar do programa de repatriamento. Eventualmente, o governo da Argentina ofereceu asilo, e cerca de uma centena de pessoas foram para o país sulamericano. Smyslovsky foi visitado por Allen Dulles e outros especialistas militares ocidentais para saber mais sobre seus conhecimentos sobre a União Soviética e as informações entregues à Reinhard Gehlens ( ler nota mais abaixo).

De acordo com Alexander Frick, ministro do Liechtenstein, os russos não tiveram em nenhum momento o risco de serem extraditados, e a população local apoiou plenamente o governo de conceder asilo ao russo. A pequena população do país (12.141 em 1945 ) apoiou a emigrantes (4% da população) a uma taxa de SF 30.000 por mês durante 2 anos e pagar as suas despesas para ir para a Argentina, pois eles não sabem que esses custos foram mais tarde a ser reembolsado pela Alemanha. Enquanto os aliados ocidentais e de outros países na Europa cumpriram os pedidos da URSS para repatriar cidadãos soviéticos, independentemente de seus desejos individuais, Liechtenstein foi o único país que levantou-se a estas exigências e informou que o governo soviético que só os russos que queriam ir para casa teriam permissão para sair a hora que quisessem.

Smyslovsky morreu em Vaduz, Liechtenstein, em 05 de setembro de 1988.

Tumba de  smyslowsky.

Monumento aos soldados de Smyslovsky em Liechtenstein.
Holmston-Smyslovsky com sua esposa, Liechtenstein.

Nota: Reinhard Gehlen (03 de abril de 1902 - 8 de Junho de 1979) foi um general do exército alemão durante a Segunda Guerra Mundial, que serviu como chefe de recolhimento de informações na Frente Oriental. Após a guerral, ele foi recrutado pelo Estados Unidos para criar um anel de espionagem contra a União Soviética (conhecida como a Organização Gehlen), e eventualmente se tornou chefe dos aparatos de inteligência da Alemanha Ocidental . Ele serviu como o primeiro presidente do Serviço Federal de Inteligência até 1968.


Filme: 
Filme francês de 1993, Vent d'Est (East Wind), dirigido por Robert Enrico baseia-se na visita de inspeção do Smyslovsky e seu exército. Ótimo filme que da para entender bem a situação dos russos.

Fonte:  
http://en.wikipedia.org/wiki/Boris_Smyslovsky
Transcrição e traduzido por : avidanofront.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...