terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Patrulhas dos Sgts. Virgulino e Santino


Drei Brasilianische Helden - (TRÊS HEROIS BRASILEIROS)
Ao amanhecer do dia 24 de janeiro de 1945, o Cap. Waldir Sampaio, Cmt da 5ª Cia do 1º R.I, recebeu no seu PC, em Lissano, a seguinte missão, transmitida pelo S.3 do 2º BI, via telefônica: " Consta que o inimigo abandonou a frente e retirou-se durante a noite. Em conseqüência deveis lançar, imediatamente, patrulhas na direção de Castelnuovo e da Cota 720 ( Existente a 1500m a E de Torre di Nerone )." O Comandante da Companhia ponderou, informando que o contato havia sido mantido durante toda a noite e que , pela manhã, ainda havia indícios de que o inimigo permanecia na região. Uma vez porém confirmada a missão, determinou ao 3º/5º Cia, em posição na região de Montecavalloro, e ao 3º / 6º Cia, que se achava em reforço à sua Cia, na de Boscaccio, que lançassem cada um uma patrulha, respectivamente, sobre Castelnuovo e Cota 720. Ambas deveriam reconhecer estas regiões. O terreno estava recoberto de espessa camada de neve, a manhã clara e radiante. Após rápidos e incompletos reconhecimentos partiu o GC do Sargento Santino Assunção para Castelnuovo e o Sargento Virgulino Loyola para a Cota 720. O observador avançado da artilharia junto à 5ª Cia e o Comandante do Pelotão de Morteiros da Cia, mantinham-se alertas. Durante o movimento, as silhuetas escuras das duas patrulhas destacavam-se nitidamente do terreno, facilitando a identificação pelos observatórios inimigos.

A patrulha do Sargento Santino atingiu facilmente o objetivo, nada encontrando que revelasse a presença do inimigo na região. Todavia, a do Sargento Virgulino, ao ultrapassar a região de Precária, a caminho da Cota 720, foi apanhada por ajustados fogos de armas automáticas e morteiros, partidos de curta distância, matando uns , ferindo outros. O Comandante da Cia, que vinha acompanhando de perto a evolução dos acontecimentos, determinou imediatamente ao pelotão do Tenente Deschamps que procurasse acolhê-la, indo ele ocupar posições em Precária, donde poderia perfeitamente desemcumbir-se de sua missão. O deslocamento até esta região fez-se sem novidades, entretanto, não conseguiu aproximar-se do local onde se encontrava detida a patrulha, devido a forte reação do inimigo. Nesta situação começaram, então , a surgir os primeiros sobreviventes da patrulha do Sargento Virgulino. Uns após outros,, ao todo cinco, foram-se incorporando ao pelotão. Quatro, porém, não puderam retornar, permanecendo tombados no campo. Um deles era o próprio Sargento. Os outros três outros, o Cabo José Graciliano Carneiro da Silva e os soldados Clóvis Pais de Castro e Aristides José da Silva. Mais tarde, após a conquista de Castelnuovo, realizada a 5 de maio, encontraram-se os seus corpos intactos num pequeno e singelo túmulo erigido pelos alemães junto às suas posições na Cota 720, como tributo à valentia e ousadia desses bravos. Sobre a terra fria e úmida, que os cobria, cravaram uma tôsca cruz de madeira, com a seguinte legenda : " 3 tapfere - Brasil - 24/I/45 ". O Sargento Virgulino, gravemente ferido, fôra recolhido a um hospital alemão, só retornando ao convívio dos companheiros após o término da guerra. O Comandante do Batalhão, ciente dessas ocorrências, determinou que a patrulha do Sargento Santino retornasse às suas posições. O retraimento realizou-se, inicialmente, sem alteração, porém, ao atingir as proximidades de Montecavalloro começaram a hostilizá-la. Prisioneiros alemães feitos posteriormente, informaram que ficaram surpresos e perplexos diante da audácia dos brasileiros ao investirem as suas posições em plena luz do dia. No emprego destas duas patrulhas, há dois fatos que merecem destaque especial.

O primeiro prende-se à própria atuação dos homens que embora certos de que o inimigo se encontrava nas posições, não se intimidaram diante das ordens recebidas, progredindo, durante o dia, pelas encostas frias e brancas do maciço de Castelnuovo, até tombarem sem vida sob o fogo, à queima roupa, das suas armas automáticas. O outro aspecto culminante deste episódio, refere-se ao inimigo que , num preito de admiração e respeito pela bravura dos seus adversários, erguei junto às suas posições, um modesto túmulo, onde sepultou os corpos, sem vida, de três gigantes brasileiros : Graciliano, Clóvis, Aristides... Fato idêntico reproduzir-se-ia, frente à Zocca, com os soldados Arlindo Lúcio da Silva, Geraldo Rodrigues e Grealdo Baeta, todos do 11º RI, o que de algum modo destrói muitas das acusações aleivosas assacadas contra os alemães. Nesta nova cruz encontrava-se a legenda : " Drei Brasilianische Helden ". (TRÊS HEROIS BRASILEIROS).

5 comentários:

  1. Parabéns, gostei muito deste texto!

    ResponderExcluir
  2. Excelente post.

    Infelizmente hoje esta tudo bem diferente.Brasileiros sao vistos somente com uma idéia generelizada e de modo deturpado.

    Moro na Italia e infelizmente a historia dos nossos herois brasileiros assim como a propria historia italiana estao sendo esquecidas, visto que hoje os regimes de governo italiano tem muito de politicos com orignes fascistas e admiradores de suas idéias.Postei o ultimo texto sobre a FEB e farei um especialmente sobre os herois que voce citou aqui.
    Grato
    Druida-Blog verdadeiraitalia

    ResponderExcluir
  3. Postei um link do seu blog no meu.Fiz um post especial para o dia 7 de setembro!

    Grato

    Druida-blog verdadeiraitalia

    ResponderExcluir
  4. Ótimo post! Fiquei emocionada de imaginar a situação. Parabéns por recordar ao mundo a existencia desses herois.

    ResponderExcluir

Favor, sem ofensas, comentários ideológicos, racistas, antissemitas e semelhantes.

Se não concordar, discordar ou mesmo ter a acrescentar com o escrito no post, o dialogo é a melhor opção.

OBS: Não tenho muito tempo para responder todos comentários, então se seu comentário demorar a ser moderado, não venha reclamar comigo, pois tenho outras atividades alem desse blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...